Home Cidadania Legalização de aborto, casamento gay e maconha são tema de atividade em São Paulo
São Paulo

Legalização de aborto, casamento gay e maconha são tema de atividade em São Paulo

Mani(festa)ção O Uruguai é aqui!, organizada por coletivos antiproibicionistas e LGBT, terá intervenções artísticas, beijaço e simulação de casamento homoafetivo
Publicado por Redação RBA
17:59
Compartilhar:   
ABr
minhocão

Ato paulistano irá comemorar avanço da política social de liberdades individuais no Uruguai

São Paulo – Em apoio às recentes medidas de reconhecimento das liberdade individuais adotadas pelo Uruguai em favor da legalização do casamento homoafetivo e da descriminalização do aborto e da maconha, coletivos e entidades antiproibicionistas, feministas e LGBT realizarão neste domingo (8), a partir das 15 horas, uma manifestação cultural no Elevado Costa e Silva, o Minhocão, no centro de São Paulo. O ato busca tornar visível a necessidade de aprovação de leis brasileiras que também reconheçam o direito de autonomia sobre o próprio corpo.

A Mani(festa)çãoO Uruguai é aqui! pretende ocupar a parte inicial do Minhocão com intervenções artísticas de grupos de teatro e de grafiteiros, apresentação de bandas, beijaço, simulação de união homoafetiva, oficinas e rodas de conversa promovidas pelos diferentes coletivos envolvidos para evidenciar a falta de diálogo no Brasil sobre esses temas, segundo o farmacêutico Ébano de Castro, um dos organizadores da atividade.

Em abril deste ano o Uruguai se tornou o segundo país da América do Sul a aprovar o matrimônio igualitário – a Argentina autorizou o casamento gay em 2010. Além disso, o país legalizou no fim de 2012 os procedimentos de aborto durante as 12 primeiras semanas de gestação. A medida visa a reduzir práticas de abortos voluntários e clandestinos que causam inúmeros danos à saúde da mulher.

De acordo com o Ministério da Saúde Pública uruguaio, dez a cada mil mulheres entre 15 e 44 anos abortam no país. O número é um dos menores registros mundiais de interrupção da gravidez. Além disso, desde a descriminalização da prática em outubro do ano passado, houve apenas um óbito em procedimentos de aborto.

Segundo Castro, o ato paulistano irá comemorar “o avanço da política social” no Uruguai. “Além da aprovação do aborto e do casamento gay, o presidente José Mujica irá autorizar a legalização e a regulamentação do uso da maconha na próxima terça-feira (10), o que revela uma política liberal de preocupação com as liberdades individuais”, afirma.

O farmacêutico é membro do Centro de Convivência É de Lei/ResPire Redução de Dano, organização que realiza atividades lúdicas de assistência social com usuários de drogas em situação de vulnerabilidade, como moradores de rua. O coletivo, que atuará na manifestação cultural, aposta na prática de redução dos danos causados pelo uso de drogas e substâncias entorpecentes. Além disso, o ResPire distribui camisinha e material informativo sobre o efeito das drogas e como você deve agir ao usá-las, em festas e eventos.

“A redução de danos faz parte das políticas de saúde públicas brasileiras, mas é pouco aplicada. Ela parte do princípio que o uso de drogas acontece e que o mundo sem elas é uma utopia. O usuário de drogas tem o mesmo direito de acesso à saúde que qualquer cidadão que não as utilize. Assim, profissionais que estudam os efeitos psicotrópicos conversam com a sociedade civil para que o usuário saiba o que fazer para minimizar os prejuízos secundários causados por essas substâncias”, explica Castro.

Serviço

Mani(festa)ção O Uruguai é Aqui
Data: 8 de dezembro (domingo)
Horário: a partir das 15 horas
Local: Minhocão, São Paulo (com acesso pela Rua da Consolação)