Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2012 / 12 / Dilma diz que vai ampliar diálogo com a sociedade e convoca empresários a investir no país

Dilma diz que vai ampliar diálogo com a sociedade e convoca empresários a investir no país

por Sabrina Craide, da Agência Brasil publicado 23/12/2012 21h27, última modificação 24/12/2012 09h46

Dilma reafirmou durante o pronunciamento que as tarifas de energia caem a partir de janeiro (Foto: Roberto Stuckert Filho. Arquivo Planalto)

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (23), em rede nacional de rádio e televisão, que 2013 será o ano de ampliar o diálogo com todos os setores da sociedade, acelerar obras, melhorar a qualidade dos serviços públicos e continuar defendendo o emprego e o salário. Ela pediu que os brasileiros mantenham a confiança e que os empresários invistam no país. “Este é um governo que confia no seu povo, no seu empresariado, que respeita contratos e está empenhado na construção de novas parcerias entre os setores público e privado.”

A presidenta garantiu que a redução das tarifas de energia, anunciada em setembro, será mantida. A queda será possível por causa da redução de encargos e acordos com as concessionárias, que irão praticar tarifas mais baixas em troca da renovação de seus contratos. “No início de 2013, a sua conta de luz e a das empresas vão ficar menores. O corte será o que anunciei. A redução na conta de luz é fundamental para que as indústrias brasileiras possam produzir a custos mais baixos, ganhar mercado e continuar gerando empregos.”

Outras ações do governo para melhorar a competitividade da economia também foram lembradas, como a construção de 10 mil quilômetros de ferrovias e a duplicação de 7,5 mil quilômetros de rodovias, as novas regras para os portos, a modernização dos grandes aeroportos e o programa para a construção e expansão dos aeroportos regionais.

Na área econômica, Dilma ressaltou que o governo manteve a inflação sob controle, melhorou o câmbio e criou condições para que os juros caíssem ao menor patamar da história. “Temos ampliado o crédito para estimular os investimentos privados e temos diminuído impostos, juros e desonerado a folha de pagamento das empresas sem reduzir nenhum direito dos trabalhadores.”

A presidenta também destacou a importância das ações na área de educação para superar a pobreza e aumentar o poder competitivo do país. Ela citou programas como o Pronatec, o Prouni e o Ciência sem Fronteiras e convocou as famílias, os professores, diretores, prefeitos e governadores para garantir o direito à alfabetização até os 8 anos. “Essa ação, em conjunto com a educação em tempo integral, nos permitirá mudar de fato a qualidade da educação no Brasil. Aliás, nenhuma nação se tornou próspera e desenvolvida sem alfabetizar na idade certa suas crianças e sem oferecer o ensino em dois turnos.”

Também foram destaques de seu pronunciamento as ações do governo para a superação da pobreza, como o Brasil sem Miséria, que retirou da pobreza extrema 16,4 milhões de brasileiros, o Brasil Carinhoso e o Bolsa Família. “Protegendo as crianças e os jovens, estamos construindo um futuro melhor para o Brasil”, disse. Ela também citou o Programa Minha Casa, Minha Vida, que já permitiu a compra de 1 milhão de casas e a contratação de mais 1 milhão de novas moradias.

Dilma lembrou a inauguração, na semana passada, dos dois primeiros estádios da Copa do Mundo, o Castelão e o Mineirão. Ela garantiu que no início do ano que vem serão entregues mais quatro estádios, que serão palco da Copa das Confederações. “Entramos na reta final da preparação para realizar a melhor Copa do Mundo de todos os tempos, que será um sucesso dentro e fora dos gramados.”