Você está aqui: Página Inicial / Copa 2018 / Brasil, França, Alemanha. As previsões (estatísticas) para a Copa 2018

a Rússia é logo ali

Brasil, França, Alemanha. As previsões (estatísticas) para a Copa 2018

Modelos matemáticos são utilizados para tentar decifrar os cruzamentos e o possível campeão do Mundial da Rússia
por Glauco Faria, da RBA publicado 11/06/2018 14h27
Modelos matemáticos são utilizados para tentar decifrar os cruzamentos e o possível campeão do Mundial da Rússia
Lucas Figueiredo/CBF
seleção brasileira

Segundo Goldman Sachs, Brasil vence a Copa da Rússia. Dá pra confiar?

São Paulo  Quem não se lembra do Polvo Paul, célebre por ter previsto vencedores de duelos durante a Copa de 2010? Sucesso à época, agora ele pode ser substituído por modelos baseados em probabilidades estatísticas, que em tese poderiam fazer uma previsão mais bem fundamentada do que o octópode sobre o futuro campeão do Mundial da Rússia.

O grupo financeiro internacional Goldman Sachs divulgou nesta segunda-feira (11) estudo dando conta de que o Brasil vai erguer o troféu na competição, em uma revanche contra seu algoz de 2014. “O Brasil vai ganhar sua sexta Copa do Mundo, derrotando a Alemanha no dia 15 de julho na final”, diz o relatório.

Para chegar a esse resultado, a entidade diz ter utilizado ao menos 200 mil modelos de machine learning (aprendizagem automática, um subcampo da ciência da computação), combinando dados que vão desde as características das seleções até seus jogadores e partidas recentes, entre outros elementos.

A "vingança" brasileira começaria antes da final. Segundo o Goldman Sachs, o Brasil vai eliminar a França, que superou a seleção canarinho nas Copas de 1986, 1998 e 2006. Portugal cairia nas semifinais diante da Alemanha, após eliminar a Argentina nas quartas.

É bom lembrar que o Goldman Sachs previu, com base neste modelo, que a seleção brasileira seria campeã em 2014. Além disso, foi acusada na crise financeira de 2008-2009 de induzir seus clientes ao erro e omitir fatos.

Alemanha favorita, seguida da Espanha

Aqui no Brasil, um grupo formado por estatísticos de três universidades desenvolve modelos de previsão dos resultados de eventos esportivos desde 2006. De acordo com o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (Cepid-Cemeai), a Alemanha é favorita ao título, com 17,39% de chance de ser campeã. Em seguida vem a Espanha, com 15,64%, e depois aparece o Brasil, com 12,93%. A Bélgica tem 11,63% de possibilidades de ser levar o inédito caneco.

O grupo acertou a final do Mundial de 2010, colocando a Espanha como campeã, superando a Holanda. Já em 2014 apontou com correção um dos finalistas, a Argentina, mas cravou o Brasil como campeão superando a equipe de Lionel Messi.

“Nós utilizamos o conhecimento de especialistas nas análises e também informações exatas, como o ranking da Fifa”, conta ao Jornal da USP o professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) de São Carlos da USP Francisco Louza, um dos coordenadores do Cepid-Cemeai.

A previsão do Fifa 2018

A EA Sports, empresa que desenvolveu o jogo Fifa 2018, lançou uma atualização com novos dados dos jogadores que vão participar da Copa de 2018. Com base nisso, criou uma simulação estabelecendo uma sequência de partidas da primeira fase até a decisão do torneio.

De acordo com a previsão, o Brasil é desclassificado nas quartas de final, sendo derrotado pela Bélgica por 2 a 0. Em seguida, a França elimina nossos algozes por  2 a 1, batendo a Alemanha na final nos pênaltis.

O nível de detalhamento não chega apenas aos resultados como passa também pelas premiações. O francês Antoine Griezmann levará a Bola de Ouro de Melhor Jogador e também se consagra como artilheiro da competição, segundo o game. O espanhol David de Gea leva o troféu de melhor goleiro e o brasileiro Gabriel Jesus ficará com o título de melhor jogador jovem.

Em 2010 e 2014, as simulações do Fifa 2018 acertaram os campeões de cada edição. Repetem a dose em 2018?