Você está aqui: Página Inicial / Copa 2018 / Após fracasso da Argentina, Maradona se oferece para treinar seleção "de graça"

mãozinha

Após fracasso da Argentina, Maradona se oferece para treinar seleção "de graça"

Em seu programa na TeleSur, ex-jogador saudou a eleição de López Obrador no México e lamentou que a equipe de seu país não tenha lutado "como lutou a seleção mexicana"
por Redação RBA publicado 03/07/2018 10h59, última modificação 03/07/2018 12h04
Em seu programa na TeleSur, ex-jogador saudou a eleição de López Obrador no México e lamentou que a equipe de seu país não tenha lutado "como lutou a seleção mexicana"
Reprodução
Programa de Maradona

Para Maradona, triunfo de López Obrador no México significa que os povos da América Latina "estão vivos"

São Paulo – O ex-jogador Diego Maradona se ofereceu para treinar a seleção argentina "de graça". Ele já foi técnico da equipe na Copa de 2010, ocasião em que a albiceleste foi eliminada nas quartas de final pela Alemanha.

Perguntado no programa De la mano del 10, da emissora de televisão venezuelana Telesur, se gostaria de retornar ao cargo, ele respondeu: "Sim, e o faria gratuitamente. Não pediria nada em troca".

Após dirigir a seleção argentina, pela qual foi o grande destaque como jogador na conquista da Copa do Mundo de 1986, ele dirigiu o Al Wasl, em 2011-2012, e é o atual comandante do Al-Fujairah, ambos dos Emirados Árabes.

Mais uma vez Maradona falou sobre a desclassificação da seleção argentina. "Eles acham que estou feliz, mas meu coração dói. Gostaria que Deus me desse forças para voltar ao campo, mas os anos e a vida passam para todos e com 57 anos vejo meu time ser derrotado por uma equipe que não acho que esteja entre as melhores do campeonato ", criticou.

Segundo ele, o triunfo de López Obrador no México significa que os povos da América Latina "estão vivos". Após o resultado, ele disse esperar ainda que Luiz Inácio Lula da Silva retorne à Presidência do Brasil e que "a explosão argentina" aconteça em seu país natal, referindo-se às promessas não cumpridas pelo atual presidente do país, Mauricio Macri.

Fazendo um paralelo entre a política e o futebol, Maradona disse que a seleção mexicana "deu tudo de si" enquanto teve pernas. "Queria que a Argentina tivesse lutado na partida como lutou o México."

Com informações da Telesur