Esforço federal

Ministro da Previdência anuncia mais ações para reduzir fila do INSS herdada de Bolsonaro

Carlos Lupi afirmou esforço do governo para que, até o fim de dezembro, a fila de concessão de benefícios previdenciários esteja dentro do prazo máximo permitido por lei, que é de 45 dias. “Coloco isso como o maior desafios da minha vida”, afirmou

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Lupi listou "ações estruturantes" para agilizar a concessão de benefícios assistenciais e previdenciários

São Paulo – O governo federal autorizou o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a nomear mais 250 candidatos aprovados no concurso público para técnico do seguro social realizado no ano passado. O grupo irá se somar aos cerca de 1 mil candidatos aprovados e já convocados no meio do ano. As novas nomeações fazem parte de um conjunto de ações estruturantes que a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vem realizando para tentar zerar a fila do INSS.

Nesta quarta-feira (20), o ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, anunciou a meta de reduzir até o final do ano o “problema da fila herdado” de governos passados. “O nosso esforço é que, até o fim de dezembro, consigamos enquadrar esses pedidos no prazo máximo permitido por lei, que é de 45 dias. Coloco isso como o maior desafio da minha vida”. A declaração foi dada durante audiência pública na Câmara dos Deputados, onde Lupi listou “ações estruturantes” para agilizar a concessão de benefícios assistenciais e previdenciários.

O número de pedidos parados, até 28 de agosto, conforme o Portal da Transparência, estava em 1,691 milhão. O total representa uma queda de 5,7% em relação a junho, mas ainda assim é considerado alto. De acordo com o ministro, houve um recorde de solicitação no mês passado, com mais de 1 milhão de pedidos. Entre as apostas do ministro está a informatização dos processos, análise documental sem passar por perícia por meio do serviço Atestmed, que cruza dados com outras instituições federais; e o lançamento do Programa PREVMóvel, que prevê atendimento itinerante.

Papel social

Desde julho, o governo federal também passou a pagar um bônus de produtividade aos servidores para reduzir a fila do INSS. Com o programa, segundo o ministro, pelo menos 200 mil pessoas saíram da fila. Durante a audiência, ontem, Lupi destacou que a Previdência tem papel estratégico no país. Mais de 38 milhões de brasileiros são atendidos ao custo mensal de R$ 50 bilhões. E 60% dos municípios, acrescentou, são sustentados pelo dinheiro da Previdência.

“Não se pode tratar desse grande programa social apenas com o número matemático de superavitário ou deficitário”, observou Carlos Lupi.

Leia também: