protagonismo

Fala de Lula sobre genocídio ganha apoio de ativistas e ‘sacode o mundo’

Com apoio internacional, como o da atriz e ativista Susan Sarandon, o presidente provoca uma série de reações com efeitos positivos e pode até ajudar na solução do conflito, afirmou Celso Amorim

Reprodução/Ricardo Stuckert/Wikimedia Commons
Reprodução/Ricardo Stuckert/Wikimedia Commons
Susan Sarandon reproduziu em suas redes sociais publicação de uma marca séria e comprometida com os direitos humanos, que editou trechos mais importantes da fala de Lula sobre o genocídio em Gaza

São Paulo – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou o apoio da atriz e ativista estadunidense Susan Sarandon, 77 anos, por ter chamado, no domingo (18), as ações de Israel em Gaza de genocídio. A artista ganhadora de diversos prêmios, entre eles o Oscar, e que trocou a carreira pela defesa dos direitos humanos, da paz e do meio ambiente não está sozinha. Ela reproduziu em sua conta na rede X, antigo Twitter, a publicação de uma marca, a Wear The Peace, que se dedica também a divulgar informações sobre os horrores em Gaza.

A Wear The Peace fez uma montagem com os principais e mais significativos trechos da fala do presidente Lula em coletiva em Adis Abeba, capital da Etiópia. Até a conclusão desta reportagem, a postagem da Wear The Peace tinha mais de 74.735 curtidas, entre as quais a do escritor e ativista moçambicano Mia Couto. Cada peça do site contribui para uma causa humanitária diferente.

Na entrevista de domingo na Etiópia, Lula comparou o massacre na Faixa de Gaza com o Holocausto. “O que está acontecendo na Faixa de Gaza, com o povo palestino, não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler decidiu matar os judeus”, afirmou. Imediatamente, o governo de Israel repudiou a fala e declarou presidente brasileiro persona non grata até que ele se desculpe. Além disso, convocou o diplomata brasileiro para “reprimenda” em Tel Aviv, levando-o ao Museu do Holocausto.

Para o ex-chanceler Celso Amorim, a frase de Lula teve efeitos positivos e pode até ajudar na solução do conflito. “A fala do Lula sacudiu o mundo e desencadeou um movimento de emoções que pode ajudar a resolver uma questão que a frieza dos interesses políticos foi incapaz de solucionar”, afirmou à jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Reprodução/Instagram

Leia também:

Redação: Cida de Oliveira


Leia também


Últimas notícias