Marginal e periférica

Mulheres, mães, pretas, pardas: Me Parió comemora 10 anos lançando livros

Editora independente formada em 2013 na periferia da zona sul paulistana busca democratizar o acesso a livros “liberta da necessidade das grandes editoras”

Divulgação
Divulgação

São Paulo – Amanhã (1º), a partir das 19h, o Selo Editorial e Coletiva Me Parió Revolução promove festa para celebrar seus 10 anos. É uma editora independente gerida apenas por mulheres, mães, pretas e pardas. Todas moradoras do Fundão do Ipiranga, na periferia da zona sul de São Paulo. No evento, lançamento do catálogo atualizado e de dois livros.

“Acreditamos que a literatura marginal periférica veio para ficar e revolucionar os espaços normativos da literatura”, afirma Maria Nilda de Carvalho Mota, a Dinha, integrante da Me Parió. Revolucionamos os sujeitos e objetos da literatura e estamos revolucionando também a forma de publicar – mercadologicamente eficaz, porém liberta da necessidade de grandes editoras, além de sermos mais democráticas”, acrescenta Dinha, pós-doutora em Literatura pela Universidade de São Paulo (USP) e autora de mais de 10 livros, entre os quais De Passagem mas não a passeio.

Projetos sociais

O catálogo tem mais de 20 títulos, com publicações em português e espanhol. As autoras “divulgam a literatura periférica no âmbito municipal, estadual, nacional e internacional, através de diversas atividades, como participação em saraus, lançamentos de livros, presença em feiras e promoção de diversos eventos culturais”.

Em 2021, a editora foi contemplada com o 18° Fomento à Periferia, programa da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Isso permitiu o lançamento de 10 títulos, incluindo Onde Estaes Felicidade, de Carolina Maria de Jesus. E também “promover ações de distribuição gratuita de livros físicos e ebooks, promover ações de leitura em projetos sociais, escolas públicas e saraus, além de garantir a permanência de mulheres mães periféricas na coletiva”. 

Livro, antologia e documentário

No evento desta sexta, as autoras da Me Parió estarão reunidas para lançamento de catálogo atualizado e dois livros. A colheita, de Glau Dantas, é “o primeiro livro da editora com estética infantil”. E Coentro em semente, folha e flor é uma antologia comemorativa dos 10 anos de existência, com textos atuais integrantes (Dinha, Mixa, Celinha Reis, Glau Dantas, Dri Reverso, Fefê Stephanie, Lili Black, Driely Gomes, Aline Oliveira e Jaiane Batista), que estarão presentes.

Haverá ainda vendas de livros a preços populares. E o lançamento do documentário Dez anos de Mulher(agem), produzido por Lili Black, Dri Reverso e Mixa. A programação inclui o coletivo poético Sarau das Parideiras. O local é o Galpão do Movimento de Moradia da Região Sudeste (AMMRS) – Rua Maramores, 36, Jardim São Savério.


Leia também


Últimas notícias