Disputa aberta

Lula bate Bolsonaro por 46% a 21% em Minas, e faz Kalil superar Zema

Pesquisa aponta que só com apoio do ex-presidente prefeito consegue vencer atual governador

Reprodução
Reprodução
Atual governador segue líder, mas distância para Kalil se iverte com apoio de Lula ao prefeito de BH

São Paulo – O apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode ser decisivo nas eleições para o governo de Minas Gerais, segundo pesquisa Quaest/Genial no estado, divulgada nesta sexta-feira (18). O levantamento mostra que, sem a aliança com o petista, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), teria apenas 33% das intenções, ante 49% do atual governador, Romeu Zema (Novo).

Entretanto, quando Kalil aparece apoiado pelo ex-presidente vira para 49% da preferência do eleitorado, vencendo Zema, apoiado por Jair Bolsonaro (PL), com 35% das intenções de voto. Em seu perfil no Twitter, o cientista político e diretor da Quaest, Felipe Nunes, destacou o “fator Lula” como a “única variável” capaz de mudar os cenários de Minas, que apontam para a reeleição de Zema.

“A única variável que parece ser capaz de mudar uma vitória certa de Zema, é o apoio de um padrinho político como Lula em Minas. A pesquisa mostra que 41% dos eleitores mudaria de voto se Lula declarasse apoio a um determinado candidato. Aplicando esse cenário hipotético na pesquisa, vemos uma mudança significativa das intenções de voto. Kalil apoiado por Lula cresce 16 pontos. Zema apoiado por Bolsonaro cai 14 pontos”, explicou Nunes.

Sem Lula, Zema vence

No cenário que considera a maior quantidade de nomes de pré-candidatos, aparecem tecnicamente empatados o deputado federal André Janones (Avante), com 7%, o deputado estadual Cleitinho Azevedo (Cidadania), com 6%, e o senador Carlos Viana (MDB), com 5%. Depois, o prefeito de Betim, Vittorio Medioli (sem partido), com 2% das intenções de voto, o prefeito de Teófilo Otoni, Daniel Sucupira (PT), com 1%, e o ex-deputado federal Miguel Corrêa (PDT), também com 1%.

Em outros cenários monitorados pela consultoria, sem levar em consideração o apoio de Lula ou de Bolsonaro aos candidatos, Zema lidera. Ao todo, o atual governador reúne entre 34% e 42% da preferência do eleitorado a depender dos candidatos que integrariam a disputa. Kalil, por sua vez, varia entre 21% a 28% a depender do cenário.

Os entrevistados que disseram votar nulo ou em branco somam 12%. Os indecisos representam 11%. Foram ouvidas 1.480 pessoas face a face entre a última sexta (11) e quarta-feira (16). A margem de erro da pesquisa é de 2,5 pontos para mais ou para menos e o nível de confiança dela é de 95%.

A pesquisa também simulou os cenários de segundo turno na disputa pelo governo de Minas Gerais. Num duelo entre Zema e Kalil, o atual governador venceria com 49% dos votos, ante 33% do prefeito da capital. Contra Carlos Viana, o atual governador também é favorito: 57% a 18%.

Primeiro turno

Cenário 1

  • Zema – 34%
  • Kalil – 21%
  • Janones – 7%
  • Azevedo – 6%
  • Viana – 5%
  • Medioli – 2%
  • Sucupira – 1%
  • Corrêa – 1%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 12%
  • Indecisos – 11%

Cenário 2

  • Zema – 40%
  • Kalil – 26%
  • Viana – 6%
  • Medioli – 4%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 12%
  • Indecisos – 12%

Cenário 3

  • Zema – 42%
  • Kalil – 28%
  • Medioli – 6%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 12%
  • Indecisos – 12%

Segundo turno

Cenário 1

  • Zema – 49%
  • Kalil – 33%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 11%
  • Indecisos – 8%

Cenário 2

  • Zema – 57%
  • Viana – 18%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 16%
  • Indecisos – 10%

Cenário 3

  • Zema – 59%
  • Medioli – 14%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 17%
  • Indecisos – 10%

Senado

A pesquisa Quaest/Quaest mostra empate técnico, no limite da margem de erro, na disputa para a uma vaga no Senado. Neste ano, será renovado apenas um terço do Senado. Portanto, cada estado e o Distrito Federal elegerão apenas um senador. Em Minas Gerais, o deputado estadual Cleitinho Azevedo (Cidadania) tem 13%, seguido de perto pelo líder do PT na Câmara, o deputado Reginaldo Lopes, com 10%. Em seguida vem o atual senador Alexandre Silveira (PSD), com 8%. Os que pretendem votar em branco, anular ou não votar representam 30% e os indecisos, 26%.

Cenário 1

  • Cleitinho Azevedo (Cidadania) – 13%
  • Reginaldo Lopes (PT) – 10%
  • Alexandre Silveira (PSD) – 8%
  • Duda Salabert (PDT) – 6%
  • Álvaro Antônio (PL) – 4%
  • Marcelo Aro (PP) – 2%
  • Lacerda – 1%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 30%
  • Indecisos – 26%

Cenário 2

  • Azevedo – 18%
  • Silveira – 10%
  • Álvaro Antônio – 7%
  • Lacerda – 3%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 33%
  • Indecisos – 29%

Cenário 3

  • Azevedo – 18%
  • Lopes – 12%
  • Álvaro Antônio – 8%
  • Lacerda – 4%
  • Branco/Nulo/Não pretende votar – 30%
  • Indecisos – 28%

Lula favorito à Presidência

A pesquisa Quaest/Genial também fez abordou os eleitores para saber suas preferências nas eleições presidenciais de 2022, em Minas Gerais. O levantamento mostra o Lula (PT) com 46% dos votos no estado, enquanto Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, possui apenas 21%. Além disso, 9% dos mineiros não pretendem votar e 5% estão indecisos.

Na sequência, aparecem os candidatos Sergio Moro (Podemos) com 6%, Ciro Gomes (PDT) com 5%, André Janones (Avante) com 3% e João Doria (PSDB) com 2%, além de Simone Tabet (MDB) e Alessandro Vieira (sem partido) com 1% cada.

O levantamento do Quaest também procurou saber quem ganharia no segundo turno para a Presidência da República e o ex-presidente é favorito em em todas as simulações. Em um dos cenários, Lula tem 56%, contra 28% de Bolsonaro. Os eleitores que não pretendem votar representam 13% e os indecisos 3%.  


Leia também


Últimas notícias