Justiça tributária

Lula acena para correção da tabela do IR ao iniciar caminhada em Salvador

Lula diz que vai levar faixa de isenção para R$ 5.000. “Vamos mudar essa história. Só tem sentido voltar à presidência se for para mudar essa situação”, afirmou. Campanha levou multidão à ruas

Ricardo Stuckert
Ricardo Stuckert

São Paulo – O candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acenou para uma reforma tributária e para a correção da tabela do Imposto de Renda (IR). O ex-presidente concedeu entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (12), em Salvador. Em seguida, realizou caminhada acompanhada por milhares de pessoas em direção em direção ao Farol da cidade.

Lula deu o exemplo de que o rico e o pobre pagam a mesma alíquota de imposto ao comprar um quilo de feijão e que é preciso que o país tenha uma política de incidência de impostos progressiva para que exista justiça fiscal.

Sobre tabela de alíquotas do imposto de renda, Lula disse que isentará os salários dos trabalhadores que ganham até R$ 5.000, porque atualmente 60% da arrecadação do imposto de renda vem dos que ganham pouco. Hoje, que ganha a partir de R$ 1.900 é sujeito a tributação, com desconto do IR na fonte,

Segundo a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco Nacional), de 1996 para cá, a defasagem da tabela do IR chega a 144,12% para exercício de 2023.

Se eleito e fizer a correção integral, adotando a faixa de 5.000 reais para limite de isenção, os trabalhadores isentos vão subir dos 7,6 milhões de pessoas atualmente para 24,5 milhões de pessoas, segundo projeções da Unafisco Nacional.

“Nós vamos mudar essa história. Só tem sentido eu voltar à presidência se for para mudar essa situação”, afirmou depois de defender a atualização da tabela do IR.

Agradecimento ao povo baiano

No início de sua fala, o candidato agradeceu o carinho do povo baiano. Destacou que tem muito orgulho desse carinho e que nesta reta final de segundo turno é preciso um pouco mais de esforço da militância e de seus apoiadores para ampliar um pouco mais os votos e garantir a vitória no dia 30 de outubro.

Lula também falou sobre o Dia das Crianças e se disse indignado pelo fato de hoje no Brasil ver crianças que acordaram sem ter um café da manhã, ou uma alimentação decente para comer. “Milhões de crianças vão passar esse dia sem ter o que comer, porque o pai e a mãe não podem dar e isso nós precisamos mudar para que as famílias tenham direitos”, afirmou lembrando o direito à moradia, além do direito à alimentação.

Igualdade de salários entre homens e mulheres

Ele falou ainda sobre a necessidade de homens e mulheres receberem o mesmo salário para trabalho semelhantes e lembrou que o direito da mulher ao salário igual ao do homem foi estabelecido pela Constituição de 1988 sem que até hoje esse direito tenha sido regulamentado.

“Precisamos entender que a mulher não é um ser de segunda categoria. E muitas vezes a mulher conquistou o mercado de trabalho, mas o homem ainda não foi para a cozinha”, disse ainda Lula, ao considerar que precisa haver mais equilíbrio na execução das tarefas de casa contra o machismo que ainda reina em muitos lares no país.

No Alemão: Lula quer discutir com comunidades políticas públicas para as favelas

Lula também criticou o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) e sua indisponibilidade para o diálogo com diferentes segmentos da sociedade, como sindicalistas, prefeitos, governadores, entre outras categorias.  E também destacou o seu apoio no segundo turno ao candidato ao governo do estado da Bahia pelo Partido dos Trabalhadores, Jerônimo Rodrigues, que tem feito uma campanha vibrante ao assumir a liderança que antes era do candidato ACM Neto (União Brasil).

Acompanhe a caminhada em Salvador


Leia também


Últimas notícias