48 PESSOAS

Novo grupo de repatriados de Gaza deixa o Egito com destino a Brasília

Grupo conta com 27 crianças e adolescentes, 17 mulheres, sendo duas idosas, e quatro homens adultos, totalizando 48 pessoas. Previsão de chegada é na madrugada de segunda-feira

(twitter/DefesaGovBr)
(twitter/DefesaGovBr)
Operação Voltando em Paz já repatriou 1.525 passageiros e 53 animais domésticos

São Paulo – Um avião da Força Aérea Brasileira decolou no início da tarde de domingo (10) do Cairo com destino a Brasília trazendo 48 repatriados da Faixa de Gaza. A previsão de chegada é às 3h20 da madrugada desta segunda-feira (11), pelo horário oficial brasileiro. Do total, 47 tinham cruzado a fronteira de Rafah no sábado (9) seguindo viagem até a capital egípcia, onde uma jovem de 22 anos juntou-se ao grupo. Eles fazem parte de uma lista com 102 nomes apresentada pelas autoridades brasileiras para autorização da saída da Faixa de Gaza. Porém, 24 não tiveram permissão e, com isso, alguns familiares desistiram de deixar a região.

O grupo conta com 27 crianças e adolescentes, 17 mulheres, sendo duas idosas, e quatro homens adultos. Entre eles, 11 binacionais brasileiro-palestinos e 37 palestinos. Desde o início do massacre protagonizado por Israel contra os palestinos, a chamada Operação Voltando em Paz repatriou 1.525 passageiros e 53 animais domésticos em 11 voos. Cerca de 150 militares e 37 profissionais de saúde se envolveram na logística, e mais de três mil refeições foram servidas em aproximadamente 330 horas de voo sobre 16 países.

Ajuda humanitária

O Ministério da Defesa informou também que uma outra aeronave deixou o Brasil na tarde de sábado da Base Aérea do Rio de Janeiro rumo ao Egito com 11 toneladas de alimentos não perecíveis. A previsão de pouso em Al-Arish, cidade próxima à fronteira com Gaza, é terça-feira (12). A iniciativa é coordenada pela Agência Brasileira de Cooperação, do Ministério das Relações Exteriores. Este é o terceiro voo do Brasil com finalidade humanitária. O primeiro saiu em outubro com equipamentos de filtragem de água e kits de saúde, como purificadores, anti-inflamatórios, analgésicos, antibióticos, além de luvas e seringas. Em novembro foram enviados 1,5 tonelada de alimentos oferecidos pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).


Leia também


Últimas notícias