Nações soberanas

Em reunião no Planalto, Lula e secretário de Estado dos EUA concordam com a criação de Estado palestino

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, está no Brasil. Conversa com Lula foi marcada por convergências, sem cobranças quanto à fala de Lula sobre o genocídio em Gaza

Ricardo Stuckert/PR
Ricardo Stuckert/PR
De acordo com o Planalto, o secretário concordou com a necessidade de assegurar um Estado palestino viável e independente

São Paulo – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, realizaram uma reunião hoje (21) no Palácio do Planalto. O encontro marca uma agenda bilateral relacionada à Cúpula do G20, que o Brasil sedia neste ano. Além disso, discussões sobre crises internacionais, como o conflito na Faixa de Gaza e a situação política na Venezuela entraram em pauta. Contudo, Blinken não fez qualquer referências ou cobrança às recentes declarações duras do presidente brasileiro contra o genocídio em Gaza, praticado por Israel.

Segundo relatos de pessoas ligadas ao governo, a reunião teve como foco temas como a proposta de aceleração de empregos nos dois países. Trata-se de um tema caro aos presidentes Lula e Joe Biden, alvo de acordos anteriores. Entretanto, a questão de Gaza também foi tema, de forma amistosa entre as partes. Apesar das divergências entre as posições do Brasil e dos Estados Unidos sobre o conflito, não houve qualquer cobrança por parte do secretário Blinken. Ao contrário, de acordo com o Planalto, o secretário concordou com a necessidade de assegurar um Estado palestino viável e independente de Israel.

“Foi ótima reunião. Sou muito grato ao presidente pelo seu tempo. Os Estados Unidos e o Brasil estão fazendo coisas muito importantes juntos, estamos trabalhando bilateralmente, regionalmente, mundialmente. É uma parceria muito importante e somos gratos pela amizade”, declarou Blinken, ao final do encontro.

Encontro amistoso

Blinken, ao sair da reunião, descreveu o encontro como “ótimo” e destacou a importância das relações entre os dois países. Esta foi a primeira visita de Antony Blinken ao Brasil durante o mandato de Lula, que já se encontrou duas vezes com o presidente norte-americano nos Estados Unidos.

Em relação a outro tema da diplomacia internacional, Blinken expressou preocupação com as eleições na Venezuela, além das ameaças de invasão à Guiana. Lula, por sua vez, procurou tranquilizar o secretário de Estado, indicando que a situação não deverá escalar para violência. O Brasil vem atuando de forma ativa para evitar qualquer tipo de escalada no continente. Inclusive, sob mediação do Itamaraty, lideranças regionais já realizaram rodadas de conversas.

Blinken e Lula

O encontro também contemplou discussões sobre cooperação na área ambiental, com menção ao possível aporte dos Estados Unidos para o Fundo Amazônia. Questões relacionadas à transição energética e fóruns empresariais também foram abordadas durante a reunião.

“O presidente Lula registrou todo o seu apreço pelo presidente Biden, por sua postura em defesa da democracia e pelas medidas que tem adotado em prol dos trabalhadores dos EUA. O secretário congratulou o Brasil pela aprovação da reforma tributária, recuperação de políticas sociais e de responsabilidade fiscal. Lembrou que os EUA são o principal investidor no Brasil e estão abertos a aprofundar os vínculos econômicos e comerciais entre os dois países”, informa o Planalto, em nota.

Oficialmente, a visita de Blinken ao Brasil estava relacionada à sua participação em reuniões do G20 no Rio de Janeiro, com uma parada estratégica em Brasília. O presidente Lula, por sua vez, planeja comparecer ao evento presidido pelo Brasil na sexta-feira (23), demonstrando o compromisso mútuo em fortalecer os laços bilaterais e discutir questões globais de interesse comum.


Leia também


Últimas notícias