Ataques do Irã

Brasil pede esforço internacional para conter tensão no Oriente Médio

Após ataques do Irã, na noite deste sábado (13), Itamaraty divulgou nota sobre o recrudescimento do conflito

Reprodução/X
Reprodução/X
Céu de Israel ficou repleto de drones e mísseis

São Paulo – O Ministério das Relações Exteriores divulgou neste sábado à noite (13) nota no qual o governo brasileiro manifesta “grave preocupação” com relatos de envio de drones e mísseis do Irã em direção a Israel. De acordo com a nota, a ação militar deixou em alerta países vizinhos e exige que a comunidade internacional mobilize esforços para evitar um escalada no conflito.

A tensão no Oriente Médio aumentou depois que o consulado iraniano em Damasco, na Síria, foi bombardeado em 1º de abril. Neste ataque, morreram sete membros da Guarda Revolucionária Iraniana, além de seis cidadão sírios. O Irã responsabilizou Israel pelo ataque e prometeu retaliar Tel Aviv pela agressão.

Na noite deste sábado (13), o Irã disparou cerca de 300 mísseis e drones em direção ao território de Israel. Segundo a força de defesa israelense, 99% dos projéteis foram interceptados.

Mísseis atingiram a base aérea de Nevatim, no sul do país, e, segundo o jornal Times of Israel, uma criança de 7 anos ficou gravemente ferida após ser atingida por estilhaços de um míssel interceptados. Ela está internada na UTI.

Leia também: Exército do Irã toma navio cargueiro pertencente a empresário israelense

Confira a íntegra da nota divulgada pelo Itamaraty:

Governo brasileiro acompanha, com grave preocupação, relatos de envio de drones e mísseis do Irã em direção a Israel, deixando em alerta países vizinhos como Jordânia e Síria.

Desde o início do conflito em curso na Faixa de Gaza, o Governo brasileiro vem alertando sobre o potencial destrutivo do alastramento das hostilidades à Cisjordânia e para outros países, como Líbano, Síria, Iêmen e, agora, o Irã.

O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada.

O Governo brasileiro recomenda que não sejam realizadas viagens não essenciais à região e que os nacionais que já estejam naqueles países sigam as orientações divulgadas nos sítios eletrônicos e mídias sociais das embaixadas brasileiras.

O Itamaraty vem monitorando a situação dos brasileiros na região, em particular em Israel, Palestina e Líbano desde outubro passado.

*Com Agência Brasil



Leia também


Últimas notícias