Venezuela

‘Constituinte vai derrotar a oposição que impõe o terror’, diz embaixador do país na ONU

O diplomata assegurou que o governo vai garantir o direito ao voto; Em artigo, Boaventura de Sousa Santos destaca avanços sociais da revolução bolivariana.

Reprodução
venezuela.jpg

Neste domingo, venezuelanos deverão eleger assembleia nacional constituinte convocada pelo presidente Maduro.

São Paulo – O Embaixador da Venezuela na Organização das Nações Unidas (ONU), Jorge Valero, assegurou que os comícios deste domingo serão uma nova derrota para a oposição venezuelana, que pretende desequilibrar o país. A informação é da Telesur.

De acordo com o diplomata, a eleição deste domingo (30) será uma “nova derrota para os setores da oposição que querem impor uma agenda de terror e medo por meio de suas reiteradas ações violentas, apoiadas pelos norte-americanos.”

Os venezuelanos deverão eleger os membros da Assembleia Constituinte, convocada pelo presidente Nicolás Maduro. Valero reafirmou que o objetivo é manter a paz no país, organizar a Justiça diante de atos violentos promovidos pela oposição e criar um marco legal para crimes como o ódio e também para frear a especulação.

E que a jornada significará um exemplo de “democracia, patriotismo e civismo do povo Venezuelano, e também uma resposta às ameaças imperialistas e seu grosseiro intervencionismo.” 

O diplomata assegurou ainda que o governo vai garantir o direito ao voto. E afirmou que as as tentativa de obstrução do processo eleitoral será rechaçada pelo espírito patriota dos venezuelanos.

Em defesa da Venezuela

O sociólogo e professor aposentado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Boaventura de Sousa Santos publicou artigo em defesa da Venezuela.

Boaventura, que acompanha “crítica e solidariamente” a revolução bolivariana desde o início, afirma que as conquistas sociais das últimas duas décadas são indiscutíveis. Ele destaca relatório da ONU de 2016 sobre a evolução do índice de desenvolvimento humano, segundo o qual  o índice de desenvolvimento humano (IDH) da Venezuela em 2015 foi de 0.767 — o que colocou o país na categoria de elevado desenvolvimento humano —, posicionando-o em 71.º de entre 188 países e territórios.

Mostra ainda que entre 1990 e 2015, a esperança de vida ao nascer subiu 4,6 anos, o período médio de escolaridade aumentou 4,8 anos e os anos de escolaridade média geral aumentaram 3,8 anos. O rendimento nacional bruto (RNB) per capita aumentou cerca de 5,4% entre 1990 e 2015. “De notar que estes progressos foram obtidos em democracia, apenas momentaneamente interrompida pela tentativa de golpe de Estado em 2002 protagonizada pela oposição com o apoio ativo dos EUA”, ressalta o sociólogo.