A todo vapor

Petrobras deve anunciar novo plano estratégico. FUP espera investimento de US$ 100 bi

Prates tinha agendada nova reunião com Lula para hoje. Petroleiros afirmam que empresa “deve ter papel central na promoção do desenvolvimento, emprego e renda dos brasileiros, buscando a autossuficiência  de derivados”

Tomaz Silva/Agência Brasil
Tomaz Silva/Agência Brasil
'Estamos a pleno vapor, usando toda a nossa capacidade de refino em favor do Brasil', afirma o presidente da Petrobras

São Paulo – O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, afirmou nesta quarta-feira (22) que a empresa deverá anunciar na próxima sexta seu novo plano estratégico. O total de investimentos para o período 2024-2028 passará antes pelo Conselho de Administração. A Federação Única dos Petroleiros (FUP) espera um valor de US$ 100 bilhões.

“Nós estamos trabalhando intensamente, todos os dias”, afirmou Prates na abertura de seminário sobre transição energética realizado no Rio de Janeiro. Ele falou ao lado do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e do presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo. O presidente da Petrobras conversou ontem com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e tem outra reunião agendada para esta tarde.

Resultados recordes

Durante o seminário, Prates destacou números recordes obtidos pela Petrobras este ano, como a produção de óleo e gás. “Quatro milhões de barris de óleo equivalente (boe) por dia. É um número muito significativo”, declarou, citando ainda o Fator de Utilização Total (FUT) das refinarias. “Hoje estamos acima de 97% das nossas capacidades. Estamos a pleno vapor, usando toda a nossa capacidade de refino em favor do Brasil.” 

Na conversa, Lula disse a Petrobras precisa ser referência em transação energética. “Vamos cumprir à risca o que o presidente determinar”, disse Prates. “Claro, dentro da composição toda de regras de governança, de satisfações à sociedade e de cumprimentos dos ritos.” A reunião foi marcada depois que Prates e o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, se manifestarem em redes sociais sobre preços dos combustíveis.

“Fiz essa manifestação à Casa Civil. É importante, respeitando a governança da Petrobras, respeitando a sua natureza jurídica. Mas já está na hora de puxarmos a orelha de novo da Petrobras, para que ela volte à mesa e possa colocar com clareza”, escreveu Silveira no X (antigo Twitter) na última sexta (17), reproduzindo uma entrevista. No dia seguinte, o presidente da Petrobras defendeu a política de preços da companhia. Silveira também era esperado para o seminário, mas não compareceu.

Pilar da transição energética

Em nota, a FUP afirmou que a Petrobras, maior empresa do país, “deve ter papel central na promoção do desenvolvimento, emprego e renda dos brasileiros, buscando a autossuficiência  de derivados de petróleo a preço justo e sendo a propulsora da transição energética no Brasil – temas defendidos pelo governo Lula”. Assim, a entidade entende que o plano de investimentos deveria assegurar algo em torno de US$ 100 bilhões nos próximos cinco anos. “Desse montante, 90% seriam financiados com recursos próprios (geração de caixa operacional) e 10% (US$ 10 bilhões) com aumento do endividamento”, estimam os petroleiros.

“Estudos feitos pelo Dieese/FUP mostram capacidade de elevação do nível de endividamento da estatal em torno de US$ 10 bilhões, sem impactos à saúde financeira da companhia”, acrescenta a federação. “Os últimos balanços financeiros e o relatório de produção e venda da Petrobras  sinalizam que há espaço para ampliação segura e sustentável de endividamento, sem gerar forte elevação das despesas financeiras.”

Com informações da Agência Brasil


Leia também


Últimas notícias