Barbárie em Sergipe

Polícia Rodoviária Federal faz ‘câmara de gás’ em camburão e mata homem negro

Vítima foi abordada em rodovia por agentes e, segundo parentes, tinha transtorno mental. Família cobra investigação e polícia diz que homem precisou ser contido após reação. Em protesto, manifestantes bloqueiam rodovia

Reprodução
Reprodução
Momento em que policiais forçam o fechamento do camburão. A vítima já inalava grande quantidade de fumaça

São Paulo – Um homem negro foi morto por asfixia após ser trancado no porta-malas de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A vítima não resistiu ao aspirar um gás lançado pelos policiais em Umbaúba, no sul de Sergipe, na tarde de ontem (25). Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, havia sido abordado, imobilizado e colocado no interior da viatura. Segundo testemunhas, os agentes lançaram um gás sobre a vítima, e a trancaram no porta-malas. A PRF alega que ele teria resistido à abordagem e precisou ser contido com uso de armas não letais. A ação causou revolta nas redes, com postagens comparando a viatura a uma câmara de gás nazista.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) do estado apontou como causa da morte asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda. O resultado da análise foi confirmado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) na manhã desta quinta (26).

Vídeo mostra ação violenta da PRF

Um sobrinho de Genivaldo contou que o tio sofreu abordagem ao passar de motocicleta pela BR-101, na área urbana de Umbaúba. Conforme testemunhas e imagens divulgadas em redes sociais, o motociclista obedeceu a ordem, colocou as mãos sobre a cabeça e foi revistado. Quando os policiais o questionaram sobre cartelas de comprimidos encontrados em seu bolso, ele esboçou uma reação. Os policiais então usaram spray de pimenta para derrubá-lo e imobilizá-lo. Um dos agentes chegou a colocar o joelho em seu pescoço. Em seguida, os policiais amarraram a vítima e a colocaram no porta-malas do camburão. Segundo familiares, Genivaldo sofria de esquizofrenia e há 20 anos tomava medicamentos controlados. 

Ainda segundo testemunhas, após colocarem a vítima no compartimento, lançaram jato de outro tipo de gás contra o homem. E como as pernas haviam ficado para fora, os policiais forçaram as portas traseiras da viatura. Um tio de Genivaldo disse que os policiais lançaram ainda outro tipo de gás e fecharam. As imagens mostram fumaça saindo do interior da viatura. 


Leia também


Levado para a delegacia da Polícia Civil, que constatou que estava desacordado, foi para o Hospital José Nailson Moura, que constatou a morte. O corpo passou por perícia no IML de Aracaju.

A família registrou boletim de ocorrência na delegacia de Umbaúba. Familiares da vítima e testemunhas já depuseram, mas, por envolver agentes federais, a investigação passará à Polícia Federal.

Na manhã de hoje, manifestantes bloquearam a rodovia BR-101, em Umbaúba, protestando contra a ação violenta que terminou em morte e pedindo justiça.O corpo de Genivaldo está sendo velado na casa da mãe da vítima, no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy. Genivaldo deixou mulher e um filho.



Leia também


Últimas notícias