Pesquisa XP/Ipespe

Bolsonaro tem desaprovação recorde. Lula amplia vantagem para 2022

Levantamento mostra que 63% dos brasileiros consideram que administração do país pelo presidente está no “caminho errado”. E intenção de voto em Lula cresce desde março, quando seu nome voltou a fazer parte da pesquisa

Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR
No escândalo da vez, ex-presidente tem de explicar ação para forjar carteira que vacinação para entrar nos Estados Unidos

São Paulo – Nova pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta terça-feira (17), aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua aumentando a vantagem sobre Jair Bolsonaro nas simulações da disputa presidencial em 2022. Por outro lado, o levantamento também registrou o maior percentual de avaliação negativa do atual governo.

Desde outubro de 2020, quando atingiu seu menor patamar recente, o grupo dos que consideram governo Jair Bolsonaro ruim ou péssimo passou de 31% para os 54% do levantamento atual, feito em julho passado. No mesmo período, os que avaliaram o governo como bom ou ótimo baixaram de 39% para 23% , 2 pontos a menos que na pesquisa de julho. Os dois números são os piores para o governo desde o início da série.

Os pesquisadores da XP/Ipespe questionaram eleitores sobre a percepção que têm sobre a maneira como Bolsonaro vem administrando a economia do país, desaprovada por 63% dos que responderam. Eram 60% no levantamento anterior. Também aumentou a perspectiva negativa para o restante do mandato do atual presidente: 50% em julho, contra 47%.

Eleições de 2022

A 15 meses das eleições 2022, a pesquisa XP/Ipespe confirma tendência de crescimento das intenções de voto em Lula. O ex-presidente aparece com 40%, dois pontos percentuais a mais que na pesquisa anterior, enquanto Bolsonaro tem 24%, dois pontos a menos que na última sondagem. Esta é a quinta pesquisa em que Lula repete a tendência de alta – saiu de 25% em março, quando foram restabelecidos seus direitos políticos e seu nome voltou a constar das pesquisas. Atrás dele e de Bolsonaro aparecem Ciro Gomes (10%), Sérgio Moro (9%), Mandetta e Eduardo Leite (4%).

Ao simular o principal cenário do 2º turno, Lula ampliou vantagem sobre Bolsonaro. O petista oscilou 2 pontos para cima, e Bolsonaro, 3 para baixos. Agora, o ex-presidente venceria com 51% dso votos, contra 32% do atual presidente. Além disso, a pesquisa mostra que Lula venceria Ciro Gomes (49% a 31%), Sergio Moro (49% a 34%) e Eduardo Leite (51% a 27%).

Em um cenário alternativo, em que o governador de São Paulo, João Doria é testado no lugar de Leite, e em que são incluídos o apresentado de TV José Luiz Datena e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, Lula tem 37% e Bolsonaro, 28%. Lula também continua registrando crescimento no levantamento espontâneo, quando o nome dos candidatos não é apresentado ao entrevistado: ele passou de 25% para 28%, enquanto Bolsonaro segue estável com 22%.

Segundo o instituto, para a pesquisa foram realizadas 1.000 entrevistas, de abrangência nacional, de 11 a 14 de agosto. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.


Leia também


Últimas notícias