De volta ao páreo

Lula deve vencer Bolsonaro nas eleições de 2022, revela pesquisa

Entre as demais candidaturas, ex-presidente é também o único nome que sairia vitorioso da disputa num eventual segundo turno. Levantamento da Exame/Ideia também mostra a pior avaliação do governo Bolsonaro, com 54% de desaprovação

Ricardo Stuckert/Marcos Corrêa/PR
Lula lidera as intenções de voto com 40%, ante os 38% registrados por Bolsonaro. Preferência é maior no Sudeste e no Nordeste

São Paulo – Se as eleições presidenciais fossem realizadas hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria Jair Bolsonaro em um eventual segundo turno. É o que aponta o levantamento divulgado nesta sexta-feira (23) pela revista Exame com o instituto de pesquisa Ideia, especializado em opinião pública. Entre o total de 1.200 pessoas consultadas pela pesquisa entre os dias 19 a 22 de abril, Lula lidera as intenções de voto com 40%, ante os 38% registrados por Bolsonaro. 

De acordo com a pesquisa, apesar de estar dentro da margem de erro, de três pontos percentuais para mais ou para menos, essa é a primeira vez que Lula aparece vencendo a disputa. A sondagem é também a primeira após o Supremo Tribunal Federal (STF) anular as decisões da Justiça Federal de Curitiba contra o ex-presidente em quatro processos da Lava Jato. O que garantiu a elegibilidade do petista

Se confirmado candidato, Lula deixa Bolsonaro para trás ainda no primeiro turno. A pesquisa indicou que o ex-presidente aparece um ponto percentual à frente do atual mandatário, com 33%. Um crescimento das intenções de voto em Lula que, na pesquisa anterior do instituto, realizada em março, tinha apenas 18%. Bolsonaro também teve uma ligeira queda de um ponto percentual na comparação com o último levantamento ao ficar com 32% das intenções. 

Nomes da direita ficam para trás

O levantamento também estipulou um cenário de segundo turno com outros nomes da direita e do chamado “centro” contra Bolsonaro. Com exceção de Lula, todos perdem para o presidente da República. O vice-presidente do PDT, Ciro Gomes registrou 34% das intenções de voto contra Bolsonaro (44%). Já o atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB) ficou ainda mais para trás, com 29% dos votos, ante 46% do presidente da extrema direita. O apresentador Luciano Huck teve 38% na disputa com Bolsonaro (40%). 

A pesquisa também aponta maior preferência a Lula no Sudeste, com 44% das intenções de voto, contra 32% de Bolsonaro, e no Nordeste, onde o ex-presidente ganharia com 44%. Bolsonaro, no entanto, ainda lidera as intenções de voto no Norte (63%), Sul (47%) e Centro-Oeste (54%). 

Desaprovação do governo Bolsonaro

Apesar da diferença, o instituto de pesquisa apontou que a avaliação do governo Bolsonaro “chegou ao pior patamar” desde que ele assumiu a presidência em 2019. Ao menos 54% dos entrevistados disseram desaprovar o trabalho do presidente. Outros 25% responderam que aprovam a gestão federal e 20% afirmaram que nem aprovam e nem reprovam. 

Bolsonaro mantém preferência sobretudo na região Norte (51%) e entre os entrevistados que disseram ser evangélicos (44%).  

Na análise do fundador do Ideia, Maurício Moura, a avaliação ruim é consequência do ritmo lento na vacinação contra a covid. Os recordes em relação ao número de mortos na pandemia e a falta de um auxílio emergencial digno também afetam a imagem de Bolsonaro. “Isso atrapalha a avaliação presidencial”, observa.