Deu tilt

Carlos Bolsonaro perde domínios de internet. Páginas aparecem em branco ou com pesadas críticas ao clã

Internautas que tentam acessar um site com o nome dos Bolsonaro encontram imagem do presidente caracterizado como o nazista alemão Adolf Hitler

Divulgação/Câmara Municipal-RJ
Divulgação/Câmara Municipal-RJ
Filho "zero 2" do presidente da República teria deixado de pagar domínio da internet

São Paulo – Corre nas redes sociais e na internet a notícia de que o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) esqueceu de pagar a conta do domínio do site de divulgação carlosbolsonaro.com.br e, consequentemente, teria perdido a página. O filho “zero dois” do presidente da República usava a página para divulgação e ponto de contato nas redes sociais e na página do parlamentar na Câmara, mas agora aparece em branco.

O site carlosbolsonaro.com.br teria sido assumido na última sexta-feira (26) pela empresa Laticínios Tamandaré Indústria e Comércio Ltda, segundo o portal Uol.

Enquanto isso, as pessoas que tentam acessar o site bolsonaro.com.br encontram críticas pesadas ao próprio Jair Bolsonaro, candidato à reeleição. O internauta se depara com uma imagem de Bolsonaro caracterizado como o nazista alemão Adolf Hitler, que matou 6 milhões de judeus na segunda guerra, perseguiu gays, ciganos e outras etnias.

Imagem na página bolsonaro.com.br

“Bolsonaro nunca escondeu que é autoritário. Em suas três décadas como político, ele sempre apoiou a violência, a estupidez, e a quebra da ordem democrática”, diz uma postagem no site. “Coronel revela que Bolsonaro sempre teve a intenção de liderar rebeliões no exército”, afirma outra.

Uma terceira, como legenda de uma foto do presidente da República quando jovem, declara que “Bolsonaro defende guerra civil, diz que sonega impostos e que votaria em Lula”. Outra ainda, como legenda do presidente tentando arrumar uma máscara de proteção, afirma que “Bolsonaro diz que o grande erro da ditadura foi torturar e não matar”.

Um texto um pouco mais longo afirma: “Antes dos anos 90, líderes autoritários rompiam com a democracia por meio de um golpe de estado. Nas últimas três décadas, no entanto, as ameaças à democracia evoluíram. Os líderes autoritários de hoje corroem as instituições, leis, e restrições políticas aos poucos, destruindo a democracia e fixando-se no poder no longo prazo”. Segundo a postagem “isto aconteceu e está acontecendo em diversos países do mundo, como na Rússia, Venezuela, Hungria, Nicarágua, Estados Unidos, Filipinas, Polônia, Índia, Turquia, e Brasil”.


Leia também


Últimas notícias