ONU: Conflito no Afeganistão matou 1.145 civis em seis meses

Genebra – O conflito armado no Afeganistão deixou 1.145 mortos e outros 1.954 feridos entre a população civil nos primeiros seis meses do ano, 15% menos que no mesmo período […]

Genebra – O conflito armado no Afeganistão deixou 1.145 mortos e outros 1.954 feridos entre a população civil nos primeiros seis meses do ano, 15% menos que no mesmo período de 2011, revelou a ONU hoje (8). No relatório de meio ano sobre a proteção de civis elaborado pela Missão das Nações Unidas no Afeganistão (Unama) foi detalhado que do total de vítimas, entre falecidos e feridos, 925 foram mulheres e crianças, ou seja, 30% do total. “Os 3.099 casos documentados neste relatório eram afegãos que lutavam para continuar com sua vida diária no meio de um conflito armado”, comenta no relatório divulgado em Genebra o representante especial adjunto da ONU para o Afeganistão, Nicholas Haysom.

Segundo a informação recolhida e avaliada pela Unama, os grupos armados opositores foram responsáveis por 80% das vítimas, enquanto 10% foram atribuídos às forças que lutam por conta do governo afegão, incluindo as forças militares internacionais. Os 10% restantes não puderam ser atribuídos de maneira confiável a nenhuma das partes do conflito, assegurou a ONU.

Sobre a maneira como essas vítimas morreram, o documento assinala que a maior causa é a detonação de explosivos improvisados, que entre janeiro e junho provocaram a morte de 327 civis e feriram outros 689, 33% do total.

Por outra parte, as operações aéreas realizadas pelas forças militares internacionais foram as que causaram mais mortos e feridos entre a população civil entre todas as táticas utilizadas pelas forças que respaldam o governo de Cabul.

Na primeira metade de 2012, essas intervenções aéreas causaram a morte de 83 pessoas e 46 feridos, segundo os casos documentados, o que, no entanto, representou 23% menos quando se compara com o primeiro semestre do ano passado. 

Leia também

Últimas notícias