Prefeitos e vice-prefeitos gaúchos fazem ‘rebelião’ para apoiar Dilma

Partido mantém-se neutro no estado porque lideranças regionais recusaram-se a aderir a chapa Dilma-Temer à sucessão presidencial

São Paulo – Prefeitos e vice-prefeitos do PMDB de municípios gaúchos rebelaram-se diante da postura de neutralidade adotada pela legenda no estado. Junto de candidatos a deputado estadual e federal no estado, eles iniciaram uma mobilização em favor da chapa de Dilma Roussef (PT) e Michel Temer (PMDB), e contra a infidelidade das lideranças.

A mobilização aconteceu na quarta-feira (18), com 35 prefeitos e vices em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Parte das lideranças do PMDB gaúcho apoiam José Serra (PSDB) à Presidência da República, o que explica a posição de oficialmente manter neutralidade no pleito, apesar de a legenda compor a coligação governista na sucessão presidencial.

“Nosso movimento surgiu naturalmente e vem do interior para a capital”, disse o prefeito João Carlos Gediel, de Quaraí, um dos organizadores do Movimento de Gestores do PMDB pró-Dilma. Gediel garantiu que, dos 140 prefeitos da sigla, mais de 100 já se manifestaram a favor da dobradinha Dilma-Temer.

A movimentação foi uma resposta à atitude dos deputados federais Osmar Terra, Ibsen Pinheiro e Darcísio Perondi, mais o estadual Alceu Moreira, que participaram de um ato a favor do tucano na segunda-feira (16). Em maio, boa parte da bancada estadual havia se encontrado com Serra em Porto Alegre.

Embora adversários em todas as disputas pelo governo gaúcho, PT e PMDB mantém uma parceria considerável nos municípios. O PMDB tem o PT como vice em 31 das prefeituras. Das 61 prefeituras do PT, o PMDB compôs a chapa em 14. Pequeno no Estado, embora instalado no governo estadual, o PSDB tem somente oito vices em prefeituras do PMDB.

Com informações da Agência Brasil

Leia também

Últimas notícias