Gilberto Carvalho diz que governo não quer repetição de erros de Santo Antônio e Jirau

São Paulo – O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, afirmou nesta terça-feira (19), em Brasília (DF), que o governo quer evitar em Rondônia os erros cometidos nas obras […]

São Paulo – O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, afirmou nesta terça-feira (19), em Brasília (DF), que o governo quer evitar em Rondônia os erros cometidos nas obras das usinas hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau. A principal preocupação é com a construção da usina de Belo Monte, no Pará. Ele declarou ainda que as obras para a Copa do Mundo de 2014 deverão ser aceleradas em decorrência da aproximação da data do Mundial.

“A presidente quer que o governo seja mais presente na obra em Altamira (PA)”, disse Carvalho a jornalistas após cerimônia em comemoração do dia do Exército, que teve a participação da presidenta Dilma. Carvalho vem negociando pelo governo a solução dos problemas entre os trabalhadores e os consórcios de construtoras responsáveis pelas obras em Rondônia.

Segundo o ministro, o governo pedirá às empresas que façam alojamentos menores e mais espalhados no futuro canteiro de obras. Um dos riscos verificados pelo governos nas obras de Jirau foi justamente a concentração exagerada de trabalhadores.

Os empregados de Jirau – que terá capacidade instalada de 3.450 mil megawatts (MW) de energia – se rebelaram em março. No tumulto, 70 por cento dos alojamentos foram destruídos, o que levou a construtora a enviar trabalhadores para suas cidades de origem.

A causa aparente do tumulto foi um desentendimento entre um motorista e um operário. Mas, após o tumulto, os trabalhadores de Jirau e da obra vizinha, a usina de Santo Antônio (3.150MW), apresentaram uma pauta de reivindicações por melhores condições de trabalho.

Nesta semana, o consórcio responsável pela construção de Jirau informou aos sindicalistas que irá dispensar cerca de 4 mil trabalhadores nos próximos meses, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Construção e da Madeira.

Essas demissões devem refletir um novo cronograma da obra, mas ainda não há uma estimativa concreta para a data de entrega da usina. Na semana passada, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, admitiu que as obras de Jirau estavam sendo antecipadas.

Copa 2014

Sobre a Copa do Mundo, Carvalho descartou que o Mundial esteja em risco. “O governo está preocupado em tomar todas as medidas, mas não há nenhum desespero, nenhuma irresponsabilidade. Estamos procurando realizar tudo dentro do previsto, com muito cuidados, respeitando as normas e temos que trabalhar sim com uma necessidade de intensificar, daqui para a frente, as obras. É natural, qualquer obra tem sempre um ritmo que em um dado momento tem que acelerar”, disse.

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, também minimizou a possibilidade de atrasos que prejudiquem a realização da Copa e lembrou que em mundiais anteriores também houve essa preocupação.

“Todo mundo achava que ia ter problema na Alemanha, na África do Sul, em Londres, e as copas ocorreram, a Olimpíada também vai acontecer em Londres. Eu acho que aqui no Brasil vai ser a mesma coisa. Vamos trabalhar firmemente com estados e municípios para garantir a execução de todas as obras”, afirmou a ministra.

Gilberto Carvalho contestou os dados do relatório do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado na última semana, que prevê que as obras de ampliação de nove dos 12 aeroportos em funcionamento nas cidades que sediarão os jogos da Copa não deverão ser concluídas até o início do mundial. “Não estamos nem um pouco preocupados com o relatório dessa pessoa do Ipea. Ela não representa a voz formal do Ipea e muito menos a posição do governo”.

Miriam Belchior também disse ter outra avaliação sobre o tema. “O estudo do Ipea tem um ponto de vista, nós temos outros dados para lidar com isso. O mais importante é o seguinte: o país inteiro está preocupado com o tema e vai se empenhar para que o Brasil tenha um excelente desempenho na Copa do Mundo”, acrescentou.

Com informações da Agência Brasil e da Reuters

 

Leia também

Últimas notícias