Impasse

Lula convoca reitores de universidades para negociar e evitar greve

Encontro busca acordo para evitar greve. Sindicatos deliberaram pela paralisação a partir de segunda-feira (15)

Gabriel Jabur / Agência Brasília / GDF
Gabriel Jabur / Agência Brasília / GDF
A pauta do encontro deve abordar a demanda dos servidores por reajuste salarial e os movimentos grevistas

São Paulo – Nesta quinta-feira (11), uma reunião entre reitores de universidades federais e os ministros da Gestão e Inovação, Ester Dweck, e da Educação, Camilo Santana, foi convocada em um contexto de iminente greve por parte de sindicatos. Eles representam, pelo menos, 18 instituições de ensino superior. Essas entidades já deliberaram a favor da greve, programada para iniciar na próxima segunda-feira (15).

A pauta do encontro deve abordar a demanda dos servidores por reajuste salarial e os movimentos grevistas que já foram deflagrados em diversas instituições de ensino. A reunião aconteceu a portas fechadas e os resultados sairão em breve.

De acordo com um levantamento da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), os servidores da Universidade Federal do Rio Grande (RS) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas (MG) já estão em greve.

Demandas das universidades

Além disso, professores e funcionários técnico-administrativos de institutos federais, que não estão vinculados à Andifes, também aderiram ao movimento grevista.

O Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) informou que, até a última terça-feira (9), pelo menos 445 unidades já haviam aderido à greve. Como consequência, a maioria das instituições suspendeu suas atividades acadêmicas.

As demandas dos servidores incluem a reestruturação das carreiras, a recomposição salarial, a revogação de medidas adotadas pelo governo anterior e a recomposição do orçamento das instituições educacionais. O movimento também solicita um reajuste imediato nos auxílios e bolsas dos estudantes.

Confira a lista de instituições que podem aderir à greve

  • UFOP (MG);
  • UFPel (RS);
  • UFPE (PE);
  • UFPA (PA);
  • UnB (DF);
  • UFV (MG);
  • UFMA (MA);
  • UFC (CE);
  • UFCA (GO);
  • Unilab;
  • Ufes (ES);
  • UFPR (PR);
  • UTFPR (PR);
  • UFJF (MG);
  • UFSB (BA);
  • Cefet-MG;
  • IFPT (PR);
  • e Unifespa (PA).

Outras 8 universidades estão em estado de greve, ou seja, estão em alerta para deflagrar greve a qualquer momento. São elas:

  • UFSJ (MG);
  • Unirio (RJ);
  • UFRRJ (RJ);
  • UFSM (RS);
  • Unipampa (RS);
  • Unila (PR);
  • UFVJM (MG);
  • e UFMT (MT).

(Matéria em atualização)



Leia também


Últimas notícias