Polícia Civil vê crime comum em assassinato em Eldorado dos Carajás

São Paulo – A quinta morte de agricultor na região amazônica em duas semanas pode ter sido crime comum. Segundo o superintendente regional da Polícia Civil do Pará, delegado Alberto […]

São Paulo – A quinta morte de agricultor na região amazônica em duas semanas pode ter sido crime comum. Segundo o superintendente regional da Polícia Civil do Pará, delegado Alberto Teixeira, a morte de Marcos Gomes da Silva em Eldorado dos Carajás não tem relação com conflitos agrários no estado.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) considera precipitado descartar a possibilidade. Uma equipe da organização acompanha as investigações na região. Antes de Gomes da Silva, pelo menos três homicídios tinham relação com denúncias contra madeireiras por desmatamento irregular.

O agricultor, de 33 anos, foi baleado duas vezes na quarta-feira (1º). Segundo uma testemunha, o carro foi interceptado por dois homens armados no momento em que transportava Marcos, já baleado, para o hospital. Os homens teriam exigido que o lavrador fosse retirado do veículo e que os outros ocupantes corressem na direção oposta. O motorista do carro obedeceu e o lavrador acabou sendo morto, no local.

Teixeira ouviu o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri) do Estado, Dejesus Martins Araújo, e a esposa da vítima, Maria Francisca Silva César. Segundo o delegado, o agricultor era ligado a movimentos sociais. Até o fim do dia, novos depoimentos serão tomados.

Com informações da Agência Brasil

Leia também

Últimas notícias