Impasse

Metalúrgicos de Taubaté buscam acordo com a LG, que quer desativar produção

Negociações foram retomadas depois que a greve foi suspensa

Sind. Met. Taubaté
Fim de atividades ameaça até 700 empregos na fábrica do interior paulista

São Paulo – O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, no interior paulista, espera definir até amanhã (23) uma proposta de acordo com a LG, que recentemente anunciou desativação de atividades. Na semana passada, os trabalhadores chegaram a entrar em greve. Mas o movimento foi suspenso na última segunda-feira (19), após intermediação do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15). Com isso, a empresa concordou em pagar os dias de greve, além do estabelecimento de um calendário de negociação, entre outros itens.

Outro item discutido na conciliação foi a possibilidade de uma reunião ampliada, incluindo autoridades municipais e estaduais, sobre alternativas para permanência do setor conhecido como IT (de monitores e notebooks) em Taubaté. Essa área concentra aproximadamente 300 dos mil postos de trabalho na fábrica. Segundo o sindicato, a LG pretende deslocar esse setor para Manaus, devido a isenções fiscais.

“É um compromisso que o TRT colocou. Fazer uma reunião com todos os poderes públicos, com um diretor executivo da LG com poder de decisão, para tentar reverter a situação dos monitores e notebooks”, afirmou o presidente do sindicato, Claudio Batista.

Há um mês, sob alegação de prejuízo, a LG anunciou o encerramento global de sua divisão de celulares. Assim, no total, as medidas podem eliminar 700 empregos em Taubaté.