Flexibilização

Depois do ABC, metalúrgicos na Volks em Taubaté aprovam acordo

Presidente do sindicato destacou estabilidade e retomada de investimentos

Sind. Met. Taubaté
Assembleia aprova proposta. Para sindicalista, acordo dá 'tranquilidade'

São Paulo – Depois de São Bernardo do Campo, ontem, foi a vez de os trabalhadores na Volks de Taubaté, no Vale do Paraíba, interior paulista, aprovarem acordo com a montadora. A assembleia foi realizada na tarde desta quinta-feira (16). A proposta inclui programa de demissões voluntárias (PDV) e medidas de flexibilização, com dois itens destacados pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região: estabilidade no emprego por cinco anos e “descongelamento” dos investimentos para a fábrica.

O acordo envolve 15 mil trabalhadores nas quatro unidades da Vokswagen no Brasil. Os metalúrgicos de São José dos Pinhais (PR) estão realizando votação virtual. E os de São Carlos (SP) farão assembleia na próxima segunda-feira (21).

“Cada planta tem suas peculiaridades, mas isso não impediu a unidade dos representantes sindicais nas negociações de itens específicos. Essa união foi importantíssima para chegarmos ao acordo, que já é uma referência no país”, avaliou o presidente do sindicato de Taubaté, Cláudio Batista, o Claudião, ao avaliar a circunstância do acordo com a Volks. “Vivemos um cenário de incertezas e com muitas empresas demitindo. Assim, conseguir construir um acordo que dá estabilidade no emprego por cinco anos, além dos investimentos, é dar tranquilidade para os trabalhadores”, acrescentou. Segundo ele, isso também deverá se refletir em toda a cadeia produtiva automobilística.

Em agosto, a empresa procurou os sindicatos afirmando querer reduzir em aproximadamente 35% o efetivo, por causa da pandemia. Com 3.100 funcionários, a fábrica de Taubaté chegou a interromper atividades por três meses, até junho.

O acordo tem regras para reajustes salariais e pagamento de participação no lucros ou resultados (PLR). Também prevê possibilidade de adoção de lay-off por até 10 meses. A produção de um modelo do Polo deverá ser compartilhada com a fábrica de São Bernardo. Já alinha track (Novo Polo) será feita apenas na unidade de Taubaté.