Negociação

Após encontro com petroleiros, Gandra marca reunião para discutir greve

Ministro do TST condiciona realização de nova reunião, marcada para sexta-feira, “à imediata cessação do movimento paredista”

Divulgação
Gleisi Hoffmann, Jandira Feghali, Paulo Teixeira, entre outros parlamentares, participaram da reunião

São Paulo – Representantes dos petroleiros participarão na próxima sexta-feira (21) de um encontro de mediação com o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Ives Gandra Martins. Este foi o resultado de reunião realizada ontem (18), intermediada por deputados e senadores.

Gandra é relator do dissídio coletivo relativo à greve deflagrada no dia 1º. No final da noite, ele publicou convocação de reunião de mediação com a Federação Única dos Petroleiros (FUP) na próxima sexta, “para discussão das matérias que envolvem a presente greve, condicionando sua realização à imediata cessação do movimento paredista”.

Após a reunião, a FUP protocolou uma petição no processo em trâmite no TST, na qual pedem a abertura de negociação para tratar dos fatos que envolvem o conflito relacionado à greve, incluindo as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR).

Em decisão na terça, a desembargadora Rosalie Michaele Bacila Batista, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 9ª Região (Paraná), suspendeu a demissão de 400 trabalhadores diretos da Fafen-PR.

Na reunião com Gandra, de acordo com a FUP, a categoria destacou  a importância da abertura de um canal de negociação para solução do impasse criado pela direção da Petrobras, que, segundo a entidade, causou a greve dos petroleiros.

Na noite de terça, os petroleiros realizaram uma marcha nacional em defesa do emprego, da Petrobras e do Brasil, no centro do Rio de Janeiro. O ato reuniu milhares de manifestantes.


Leia também


Últimas notícias