Home Trabalho Doria e prefeito de São Bernardo tentam faturar com acordo fechado por metalúrgicos
Volkswagem

Doria e prefeito de São Bernardo tentam faturar com acordo fechado por metalúrgicos

Tucanos foram à Alemanha para tentar tirar proveito de anúncio de investimento que só foi possível após acordo coletivo fechado com os trabalhadores
Publicado por Tiago Pereira, da RBA
12:01
Compartilhar:   
GOVSP

Para dirigente metalúrgico, Doria e Morando foram "fazer turismo", sem trazer nenhuma novidade

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria e o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, ambos do PSDB, em visita à sede da Volkswagem, em Wolfsburg, na Alemanha, na última quinta-feira (29), tentaram faturar politicamente sobre um acordo fechado entre a empresa e os trabalhadores representados pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC). Uma das novidades do acordo é a produção de um modelo que vai ser produzido integralmente na fábrica Anchieta.

Segundo o diretor executivo do SMABC, Wellington Messias Damasceno, o acordo coletivo que prevê investimentos na manutenção dos empregos vem sendo negociado com os trabalhadores desde 2012. Esse acordo foi revisto, em 2015 e 2016, para a introdução da nova plataforma global MQB, que será utilizada no novo veículo. A introdução dessa nova plataforma, que também é utilizada na fabricação dos veículos Polo e Virtus, foi negociada quando a Volkswagem decidiu parar de produzir a Kombi e a quarta geração do Gol na fábrica de São Bernardo.

“Não se define o lançamento de um veículo de uma hora para outra. Esse carro já estava em desenvolvimento, com todas as bases discutidas, quando aprovamos esse aditamento no ano passado, previsto para ser lançado no ano que vem. Não é algo que alguém resolve numa viagem para a Alemanha”, afirmou Damasceno ao jornalista Glauco Faria, para o Jornal Brasil Atual desta segunda-feira (2). “Agora, sem mais nem menos, sem nem conversar com os próprios trabalhadores, que são os donos desse acordo, o governador Doria e o prefeito Orlando Morando querem enganar a população”.

Segundo Doria, os investimentos previstos de R$ 2,4 bilhões nas fábricas paulistas só teriam sido possíveis graças a “intensas negociações” entre a empresa e o governo. Morando afirmou ainda que esses investimentos criariam novas vagas, informação desmentida por Damasceno. Segundo ele, a introdução da nova plataforma servirá para que a planta de São Bernardo opere com 100% da sua capacidade, mas sem criar novos postos. Trabalhadores de Taubaté e São Carlos também fecharam acordos que garantiram investimentos.

“Estamos passando por um grave momento de desindustrialização, com diversos anúncios de demissão e até fechamento de fábricas, sem uma perspectiva de futuro para o país, e também para o nosso estado e na nossa região. Seria muito mais conveniente que o governador e o prefeito trabalhassem para garantir esses empregos e manter a atividade industrial, em vez de propagandear algo que foi luta e conquista dos trabalhadores”.

O sindicato destaca nota divulgada pela própria Volks à imprensa que afirma que o novo modelo “100% desenvolvido no País, que traz um conceito inédito em seu segmento no mercado brasileiro e conta com grande potencial para exportação”, só foi possível ” graças ao Acordo Coletivo com os empregados, por meio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC”.

Ouça a entrevista na íntegra