Home Trabalho CUT cria coletivo de advogados para enfrentar ataques do governo Bolsonaro
Articulação

CUT cria coletivo de advogados para enfrentar ataques do governo Bolsonaro

Grupo conta com mil juristas de 325 sindicatos de São Paulo. Mobilização visa a impedir retirada de direitos trabalhistas e criminalização dos movimentos sociais
Publicado por Clara Assunção
11:19
Compartilhar:   
CUT Brasília

Manifestações de trabalhadores ligados à CUT contra retrocessos e retirada de direitos. Central mobiliza estrutura para se defender de ataques a direitos promovidos por Bolsonaro

São Paulo – Para defender de forma unitária os trabalhadores e os sindicatos contra os ataques promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro, advogados de entidades trabalhistas filiadas à CUT estão se organizando em um coletivo lançado nesta quinta-feira (18), em São Paulo. Motivados pela organização jurídica da classe, o grupo quer impedir a criminalização dos movimentos sociais e a retirada de direitos. Ao menos mil advogados, de 325 sindicatos no estado de São Paulo, devem integrar o coletivo.

Um dos coordenadores do grupo, Vinicius Cascone, advogado da CUT, explica ao repórter Jô Miyagui, do Seu Jornal, da TVT, que, desde o governo Temer o Brasil vivencia um cenário de mudanças marcado pelo desmonte da legislação protetiva dos trabalhadores. “Agora nós estamos assistindo o governo Bolsonaro governar por meio de medidas provisórias, muitas publicadas inclusive em Diários Oficiais extras”, descreve.

De acordo com os advogados, a ideia é que nesse primeiro momento a unidade permita a troca de experiências e informações para fortalecer as ações jurídicas e consolidar a luta política e as mobilizações. Dirigentes sindicais que participaram do lançamento comemoraram a iniciativa.

O presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo, afirma que Bolsonaro vem intensificando ataques principalmente contra autonomia e liberdade sindical. “A gente tem ouvido por interlocutores do próprio governo que ele (Bolsonaro) vai tentar fazer uma reforma sindical onde propõe a proliferação de sindicatos por empresa que é uma tentatva de desarticular as centrais e o movimento sindical”, alerta.

Assista à reportagem da TVT