Home Trabalho 1º de Maio pelo mundo tem protestos por mais direitos
dia de luta

1º de Maio pelo mundo tem protestos por mais direitos

Trabalhadores foram às ruas por melhores condições de emprego, contra mudanças nos sistemas previdenciários e aumentos salariais
Publicado por Redação RBA
12:01
Compartilhar:   
1 de Maio

Em Manila, capital das Filipinas, trabalhadores protestaram contra o impacto das medidas econômicas do governo

São Paulo – O 1º de Maio, Dia do Trabalhador, foi celebrado em vários países pelo mundo. Marchas e protestos contra a retirada de direitos marcaram a data. 

Em Paris, na França, manifestações com confrontos marcaram as comemorações. Mobilizações promovidas pelos “coletes amarelos” e por sindicatos terminaram em confrontos com a polícia, após a infiltração de um grupo black bloc. Centenas de pessoas foram detidas pelos policiais franceses. 

Além de Paris, outras cidades francesas também foram palco de manifestações como Marselha, Nantes, Bordeaux, Lyon e Montpellier.

Na Rússia, trabalhadores e parlamentares se uniram em grande marcha contra a reforma da previdência proposta pelo presidente Vladimir Putin, que aumenta a idade para se aposentar.

Em Istambul, na Turquia, trabalhadores se reuniram no centro da cidade para a tradicional marcha do 1º de Maio. Dirigentes sindicais e opositores do presidente Recep Tayyip Erdogan participaram do ato.

Uma grande manifestação também foi realizada em Manila, capital das Filipinas. Trabalhadores marcharam rumo ao palácio presidencial para protestar contra o impacto das medidas econômicas do governo contra os mais pobres. Cerca de 25% da população do país vive na extrema pobreza.

Na Itália, manifestantes foram às ruas de Turim para protestar contra os baixos salários e o aumento do desemprego. Durante o ato houve confronto com a polícia. Já a Grécia ficou sem transporte ferroviário, balsas e outros serviços, por conta de uma greve.

Em Seul, capital da Coreia do Sul, milhares marcharam pedindo melhores condições de trabalho. Na Espanha, os sindicatos ocuparam o centro de Madri para pressionar as autoridades a revogar a reforma trabalhista adotada pelos conservadores.

Assista à reportagem do Seu Jornal, da TVT