Home Trabalho Crescimento do trabalho doméstico encobre falta de políticas do Estado
Estudo da Oxfam

Crescimento do trabalho doméstico encobre falta de políticas do Estado

Economista explica que desvalorização atende à lógica de operação do mercado e do Estado, baseada em precarização do trabalho das mulheres
Publicado por Redação RBA
13:37
Compartilhar:   
Antonio Cruz EBC/Reprodução
Trabalho Doméstico

Políticas que visavam a possibilitar autonomia das mulheres foram interrompidas por emenda que limitou gastos, diz pesquisadora

São Paulo – O trabalho doméstico e de cuidados realizado majoritariamente por mulheres é considerado essencial para o desenvolvimento da economia do país, segundo estudo realizado pela organização Oxfam Brasil. Intitulada Empoderamento econômico das mulheres no Brasil, a pesquisa destaca que, em tempos de crise, o crescimento desse tipo de atividade mascara a falta de respaldo do Estado a políticas públicas mais atentas a tensões sociais.

A economista Marilane Teixeira, autora do estudo, ressalta em entrevista a Ana Rosa Carrara, da Rádio Brasil Atual, que a separação feita entre a produção econômica do trabalho doméstico e a sua reprodução social, como a ausência de remuneração adequada, é “conveniente” ao próprio sistema capitalista.

“O estudo tem um pouco o sentido de explicitar isso, com a perspectiva de que a sociedade assuma o tema dos cuidados como uma política pública e como responsabilidade de homens, mulheres e do Estado”, justifica Marilane, doutora em desenvolvimento econômico e pesquisadora na área de relações de trabalho e gênero. 

“As crises, os ajustamentos, são feitos com base no trabalho gratuito das mulheres”, aponta a autora, recomendando o investimento na saúde e educação como uma forma para superar a desvalorização e precarização do trabalho doméstico.

Ouça a reportagem: