Mobilização

Centrais se preparam para dia de protestos na próxima terça

Greve prevista para o dia 30 ainda pode sofrer alteração, conforme a tramitação dos projetos de reformas

ctb
reunião das centrais sindicais 14 de junho.png

Centrais se reuniram hoje para discutir sobre a mobilização de terça-feira (20) contra as reformas de Temer

São Paulo – Representantes das centrais se reuniram hoje (14), em São Paulo, para discutir os preparativos para o dia nacional de mobilização contra as reformas, marcado para a próxima terça-feira (20). Em São Paulo, haverá manifestação na Praça da Sé, a partir das 17h. Os dirigentes consideram a data uma espécie de “esquenta greve geral”, apontando para o dia 30, indicativo para uma paralisação. E afirmam que estão em “alerta total” sobre a votação da “reforma” trabalhista no Senado. A data do dia 30 ainda pode sofrer alterações.

Segundo o secretário-geral da CUT de São Paulo, João Cayres, a greve prevista para o dia 30 pode ser alterada conforme a tramitação dos projetos de “reformas” trabalhista, no Senado, e previdenciária, na Câmara. “Depende da agenda parlamentar”, observou. Na próxima quarta (21), as centrais voltarão a se reunir, no Dieese, para avaliar o ato da véspera e discutir os próximos passos.

A Força Sindical não participou da reunião de hoje por estar realizando congresso nacional, encerrado no início da tarde. Reeleito, o presidente da central, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, disse ter dúvidas sobre a realização do ato do dia 30, que ele prefere não ser chamado de greve geral.

Na próxima segunda (19), será realizada uma plenária do setor de transportes, para discutir adesão à paralisação. Os metroviários de São Paulo têm plenária marcada para quinta da semana que vem (22).