Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2017 / 04 / Morre o vice-presidente da CUT-SP, Sebastião Cardozo

Despedida

Morre o vice-presidente da CUT-SP, Sebastião Cardozo

Dirigente, vítima de infarto aos 58 anos, era bancário de Araraquara e iniciou militância na década de 1980
por Redação RBA publicado 01/04/2017 12h39, última modificação 03/04/2017 10h45
Dirigente, vítima de infarto aos 58 anos, era bancário de Araraquara e iniciou militância na década de 1980
CUT-SP
Tião

Tião era uma pessoa muito querida por seu caráter humano e generoso e respeitado por seu comprometimento

São Paulo – O vice-presidente da CUT de São Paulo, Sebastião Geraldo Cardozo, o Tião, morreu nesta sexta-feira (31), aos 58 anos, vítima de infarto, na cidade de São José do Rio Preto, no interior paulista.

Tião nasceu em Icém, município no interior do estado, e residia em Araraquara. Era casado e pai de três filhos. Sua militância teve início no movimento estudantil e bancário daquela região, no começo da década de 1980. Presidiu o Sindicato dos Bancários de Araraquara por duas vezes, ingressou na direção executiva da Federação dos Bancários da CUT do Estado de São Paulo (Fetec/CUT-SP) e, em 2001, tornou-se presidente da entidade. Foi secretário-geral da CUT-SP e, desde 2015, ocupava a vice-presidência da entidade.

Torcedor fanático do Corinthians, conhecido pelo bom humor e pelo riso generoso, Tião teve sua vida marcada pela luta incansável em defesa dos direitos dos trabalhadores, afirma a CUT, em nota. Leia a íntegra.

A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo lamenta profundamente a morte de seu vice-presidente, Sebastião Geraldo Cardozo, nosso querido Tião, na sexta-feira, 31, vítima de infarto aos 58 anos, em São José do Rio Preto.

É uma triste notícia para a classe trabalhadora e o movimento sindical deste país. Seu legado e seu sorriso jamais serão esquecidos. Corintiano de Araraquara, como fazia questão de lembrar, era um lutador incansável e em todas as trincheiras esteve presente dialogando e se colocando à disposição.

Toda a sua trajetória de vida servirá de exemplo, ainda mais em tempos tão sombrios neste Brasil cheio de contradições. Tião jamais deixou de lutar. Ajudou a construir um trabalho que transformou uma geração de sindicalistas e fez história no estado de São Paulo.

Nascido em Icém, município no interior de São Paulo, atualmente residia em Araraquara. Casado, pai de três filhos, iniciou a militância no começo da década de 1980, atuando no movimento estudantil e nos bancários de Araraquara.

Desde então, ocupou a presidência do Sindicato dos Bancários de Araraquara-CUT-SP por duas vezes (1987-1990 e 1993-1996). No ano seguinte, ingressou na direção executiva da Federação dos Bancários da CUT do Estado de São Paulo (Fetec/CUT-SP) e, em 2001, se tornou presidente da entidade.

Em janeiro de 2009, assumiu a presidência da CUT-SP para conduzir o processo de transição até a realização do 12º Cecut, quando foi eleito secretário Geral da CUT/SP para a gestão 2009/2012. No 13º CECUT, foi reeleito ao mesmo cargo. No 14º Cecut foi eleito à vice-presidência da CUT-SP para a gestão 2015-2019. Em 2015, recebeu ainda o 1º Prêmio Luiz Gushiken, no Dia Municipal do Bancário, na Câmara Municipal de Araraquara.

Decretamos luto neste dia, nos somamos à dor e nos solidarizamos com familiares e amigos. Informamos que o velório será realizado no Memorial Fonteri, na Avenida Portugal, 1.030, no centro de Araraquara, com horário a ser confirmado. O enterro ocorrerá no domingo (2), às 10h15, no Cemitério São Bento, à Rua Humaitá, 1.717, também no centro de Araraquara.

Sebastião Cardoso, presente!