Greve Geral

Trabalhadores cruzam os braços e paralisam fábricas em São Paulo

Montadoras, metalúrgicas e indústrias químicas na região da grande São Paulo e no interior tiveram a produção suspensa nesta sexta-feira

reprodução/SMABC
Marcolar

Em Ribeirão Pires, trabalhadores cruzam os braços e paralisam atividades na indústria Marcolar

São Paulo – Trabalhadores metalúrgico e químicos paralisaram diversas indústrias na região da Grande São Paulo, mais especificamente no ABC, e também no interior do estado (28), na greve geral desta sexta-feira contra as reformas trabalhista e da Previdência do governo Temer. Em alguns locais, os trabalhadores se reuniram nas portas das fábricas para dialogar e conscientizar os demais colegas. Em outros, os funcionários sequer foram até os locais de trabalho. 

No ABC e em Ribeirão Pires, estão paralisadas as fábricas da Ford, Volkswagen, Mahle, Arteb, ZF, Alpina, SMS, Arteb, Magna Cosma Internacional, Basf, Lukscolor, Sanko, EMS, Novak, Sherwin Willians, TRW e Marcolar. 

Em Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo, trabalhadores bloquearam um dos acessos à empresa Suzano Papel e Celulose. 

Fábrica da Lukscolor, em São Bernardo do Campo, paralisada.  

 SMS, em Diadema, com atividades suspensas.

 TWR

TRW, em Diadema, com portas fechadas

Sherwin

 

Atividades na Sherwin Williams, em São Bernardo do Campo, também paralisadas.

 

Leia também

Últimas notícias