HOJE

Jornada pela Democracia reúne intelectuais e ativistas contra a reforma da Previdência

Evento em São Paulo debate como barrar projeto de reforma proposto pelo governo Temer e discutir alternativas que assegurem o futuro das aposentadorias

divulgação
tucarena

Palco da resistência contra a ditadura, teatro da PUC-SP recebe evento em defesa das aposentadorias

São Paulo – Juristas, economistas, parlamentares, artistas, intelectuais, estudantes e lideranças sindicais e dos movimentos sociais se reúnem, em São Paulo, nesta segunda-feira (27), na Jornada pela Democracia: em Defesa da Aposentadoria para discutir os efeitos do projeto de reforma da Previdência proposto pelo governo Michel Temer (PMDB-SP) e suas possíveis alternativas. 

“Para se fazer uma reforma da Previdência, tem de se convocar a sociedade brasileira. A Previdência não pertence a esse governo, ainda mais um governo ilegítimo, fruto de um golpe”, afirma o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), um dos organizadores do evento.

Segundo ele, o projeto defendido pelo governo Temer não reforma, mas destrói o sistema de previdência pública e faz parte de uma ofensiva contra os direitos dos trabalhadores, a qual ele inclui também o projeto que regulamentou a terceirização irrestrita aprovado pela Câmara, na semana passada. 

“É um momento perigoso para a sociedade brasileira. Há uma ofensiva violenta sobre os direitos do povo. Mas o povo começou a reagir. Em 8 de março, as mulheres foram às ruas e disseram ‘Temer sai, aposentadoria fica’. No dia 15 de março, trabalhadores do Brasil inteiro foram as ruas para dizer não à reforma da Previdência”, destaca o deputado, em entrevista à Rádio Brasil Atual na manhã de hoje. 

Jornada pela Democracia: em Defesa da Aposentadoria tem a presença confirmada do presidente da CUT, Vagner Freitas; o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (Smabc), Rafael Marques; a presidenta do Sindicato dos Professores da Rede Oficial no Estado de São Paulo (Apeoesp), Maria Izabel de Azevedo Noronha, a Bebel; os economistas Luiz Gonzaga Belluzzo, Eduardo Fagnani (Unicamp) e Guilherme Mello (Unicamp); o professor de Direito Constitucional Pedro Serrano (PUC-SP); as líderes estudantis Carina Vitral (UNE) e Camila Lanes (Ubes); a psicanalista Maria Rita Kehl e o ator Sérgio Mamberti, entre outras personalidades.

Os debates contarão com mediação dos jornalistas Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, e Renato Rovai, da Revista Fórum.

Para Teixeira, os parlamentares são suscetíveis às pressões das ruas, e acredita que, com mobilização popular, é possível impedir que o projeto de reforma proposto pelo governo Temer seja aprovado. “Se olhar o resultado da votação do projeto da terceirização, já se vê que o governo perdeu base. Foi muito apertada a votação. Há uma mudança de ânimo, e a mobilização tem que permanecer para impedir que eles tenham os 308 votos para a PEC.”

Durante o evento, será lançado também o livro O golpe de 2016 e a Reforma da Previdência, que reúne coletânea de artigos sobre o tema. A Jornada pela Democracia: em Defesa da Aposentadoria será realizada a partir das 18h, no Tucarena, teatro da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. 

Ouça: