Urnas

Eleições movimentam bancários, metalúrgicos, professores e setor de energia

No ABC, metalúrgicos concluem o primeiro turno. Em São Paulo, bancários escolhem comissão

adonis guerra / gerardo lazzari
marques e juvandia.jpg

Rafael e Juvandia: 234 dirigentes entre os metalúrgicos e comissão eleitoral no Sindicato dos Bancários

São Paulo – Diversos sindicatos ligados à CUT estão organizando seus processos eleitorais para renovação da diretoria. No caso do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a votação em primeiro turno já foi realizada, terça-feira e ontem (14/15), e o segundo será realizado no mês que vem. Preparam-se para ir às urnas os filiados aos sindicatos dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo (Sinergia) e dos Professores do Ensino Oficial do Estado (Apeoesp). 

No primeiro turno da eleição do ABC, foram escolhidos 234 dirigentes para integrar os 77 comitês sindicais de empresa (CSEs), além do comitê dos aposentados (CSE). Segundo o sindicato, foram registrados 18.274 votos válidos, número correspondente a 93% dos votantes. Os resultados foram divulgados nesta quinta-feira (16). 

“Foi bastante positivo. Das 77 empresas em que tivemos eleição, cinco tinham chapas de oposição, nas demais eram chapas únicas, e o comparecimento foi bem representativo. Essa participação era necessária para dar respaldo aos dirigentes que vão conduzir as lutas dentro das empresas, principalmente nesse período em que a conjuntura nos demanda uma agenda de lutas intensas em defesa dos direitos da categoria”, avaliou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Rafael Marques. O segundo turno será em 26 e 27 de abril.

O Sindicato dos Bancários elegeu na noite desta quinta (16) os cinco representantes da comissão eleitoral, que não poderão concorrer por nenhuma chapa que se inscreva para o pleito. Todos são ligados à chapa 1, apoiada pela direção da entidade e com bancários ligados à CUT e à Intersindical. Segundo o sindicato, aproximadamente 1.150 trabalhadores participaram da assembleia. “Temos de fortalecer o sindicato para ampliar a luta por melhores condições de trabalho e por uma sociedade mais justa e igualitária. E o processo eleitoral é que dá esse respaldo aos dirigentes”, disse a presidenta da entidade, Juvandia Moreira. 

No Sinergia, a eleição será realizada nestas segunda e terça-feira, dias 20 e 21. A entidade, que completa 20 anos em novembro, é resultado da unificação de várias entidades no interior paulista, reunindo eletricitários e trabalhadores do setor do gás. Hoje, a entidade reúne sete sindicatos.

Serão duas eleições simultâneas, do Sinergia e do Sindicato dos Eletricitários de Campinas, envolvendo funcionários de mais de 70 empresas. O colégio é formado por aproximadamente 11 mil trabalhadores da ativa e aposentados. Concorrem chapas únicas, apoiadas pela CUT. A apuração está marcada para quarta-feira (22), a partir das 14h, na sede do Sindicato dos Petroleiros, em Campinas.