Buscar alternativas

Metalúrgicos negociam para evitar fechamento da Panex em São Bernardo

Vigília iniciada na sexta-feira, depois de a fábrica anunciar desativação da unidade, está suspensa e nova assembleia na quarta avalia negociação aberta entre sindicato e direção da empresa

Edu Guimarães/SMABC
rafael-marques.jpg

Para Rafael, a Panex pode ser produtiva e competitiva ‘porque seus trabalhadores fazem a diferença’

São Paulo – Trabalhadores da fábrica da Panex, em São Bernardo do Campo, decidiram suspender hoje (20) vigília iniciada na semana passada após o anúncio de fechamento da unidade no município. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC anunciou ter aberto negociação com a direção da empresa, com objetivo de encontrar alternativa à transferência para Itatiaia (RJ). A produção permanecerá parada nesta segunda e terça-feira e uma nova assembleia com os trabalhadores foi marcada para quarta-feira (22).

“Teremos dois dias de conversas. Vamos contatar a matriz francesa e tentar fazer com que ela suspenda a transferência ou adie a decisão. O Grupo SEB/Panex precisa nos dar tempo para mostrar que temos compromisso com o emprego e a produtividade e buscar uma alternativa digna para esta planta. A Panex pode ser produtiva e competitiva porque seus trabalhadores fazem a diferença”, destacou o presidente do sindicato, Rafael Marques.

Segundo o diretor executivo da entidade José Paulo da Silva Nogueira, o Zé Paulo, a solidariedade da categoria demonstrada nos quatro dias de vigília foi importante para a mobilização. “Não vamos concordar com uma decisão tomada dessa forma. Essa vigília foi só um esquenta. Vamos buscar soluções e continuar unidos na nossa luta”, disse Zé Paulo, que é funcionário da Panex.

O Grupo SEB, que fabrica as marcas Panex, Penedo, Clock e Rochedo, tem cerca de 300 trabalhadores na unidade de São Bernardo.

Com informações do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC