em SP

Bancários fazem ato contra demissões no Santander nesta quarta-feira

Funcionários vão à Torre do Santander para defender manutenção dos direitos dos trabalhadores e rejeitar reforma estatutária

CONTRAF/ARQUIVO
torre do santander.jpg

Apesar de lucro de 10,8% em 2015, 2.770 postos de trabalho foram fechados no Santander em 2016

São Paulo – Bancários realizam na manhã de hoje (8) um ato em frente à Torre do Santander, na Vila Olímpia, zona sul da capital. Convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a manifestação pede o fim das demissões no banco espanhol, que e, 2016 fechou 2.770 postos de trabalho.

Os funcionários também rechaçam a proposta do Santander de reduzir a representação dos trabalhadores no Banesprev – o fundo de pensão dos trabalhadores da empresa. O banco quer extinguir a Assembleia Geral Extraordinária e a sétima vaga do Conselho Deliberativo, destinada à Diretoria Representante dos Empregados (Direp). Em assembleia do último dia 28, trabalhadores disseram “não” à pretensão do banco.

“Qualquer supressão de atribuições da Assembleia de Participantes, aliada à extinção da sétima vaga no Conselho Deliberativo, poderá ter um efeito devastador no fundo, permitindo alterações drásticas nos regulamentos e inclusive levar à sua dissolução. E isso não vamos deixar que aconteça”, explica Mario Raia, secretário de Relações Internacionais da Contraf-CUT e representante da Confederação na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander.

Os bancários protestam ainda contra o programa de aplicação de notas de avaliação ao trabalho desempenhado, que tem prejudicado a ascensão dentro da empresa e aumentado a pressão no ambiente de trabalho.