Home Trabalho Metrô censura exibição de vídeo contra terceirização
propaganda

Metrô censura exibição de vídeo contra terceirização

Peça produzida pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo foi suspensa com alegação de apresentar 'cunho político'
Publicado por Redação RBA
14:58
Compartilhar:   
reprodução
ae.jpg

Vídeo alerta contra os riscos da liberação da terceirização e alerta população para que cobre ministros do STF

São Paulo – A Companhia do Metropolitano de São Paulo suspendeu ontem (4) a veiculação de um vídeo produzido pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região como ferramenta de esclarecimento à população sobre os riscos da liberação da terceirização.

O filme chegou a ser veiculado nos trens e nas estações do metrô e em ônibus da SPTrans na quinta-feira (3), mas, segundo o sindicato, teve a exibição suspensa sob alegação de “cunho político”.

O vídeo, com duração de 15 segundos, tem imagens que ilustram os direitos em risco diante da votação que ocorrerá quarta-feira (9) no Supremo Tribunal Federal. Alerta contra os riscos da liberação da terceirização e encoraja a população a cobrar dos ministros do STF respeito aos direitos dos trabalhadores.

O que o STF definir referente à Celulose Nipo Brasileira S/A (Cenibra) valerá para todas as decisões sobre o assunto. A Cenibra entrou com recurso contra decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que estabeleceu como “transferência fraudulenta e ilegal” de mão de obra, com o “nítido propósito de reduzir custos de produção” a contratação de trabalhadores terceirizados para sua atividade-fim. Se o STF julgar que não houve ilegalidade, cai a Súmula 331 do TST e estará liberada a terceirização de todo tipo de atividade no país.

“A votação já será na quarta-feira, dia 9, ou seja, a suspensão da veiculação prejudica muito a campanha de esclarecimento à população que era o objetivo principal do sindicato”, disse a secretaria de Imprensa da entidade, Marta Soares: “Lamentamos essa posição do Metrô e da SPTrans que deliberadamente boicotam o acesso à informação, como também o faz a grande mídia. Situação que pode ser comparada ao pior tipo de censura já vivido por nossa sociedade e se soma a tantos outros retrocessos vividos pelos brasileiros nos últimos tempos”, afirmou a dirigente.

Assista

Com informações do Sindicato dos Bancários de São Paulo