Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2015 / 09 / Metalúrgicos do ABC paulista realizam assembleias para aumentar mobilização

campanha salarial

Metalúrgicos do ABC paulista realizam assembleias para aumentar mobilização

Sindicato reúne trabalhadores em portas de fábricas para pressionar patrões a melhorarem propostas de reajustes
por Redação RBA publicado 29/09/2015 18h18
Sindicato reúne trabalhadores em portas de fábricas para pressionar patrões a melhorarem propostas de reajustes
Edu Guimarães / smabc
metalurgicos29set.jpg

Assembleia realizada hoje (29): mobilizações em fábricas estão programadas para até quinta-feira (1º)

São Paulo – Os metalúrgicos do ABC paulista realizaram assembleias de mobilização da campanha salarial nesta terça-feira (29) e atrasaram a entrada nas empresas TRW, Autometal, Affinia e Metaltork, em Diadema; e Unitec, em Ribeirão Pires.

As mobilizações nas fábricas ocorrerão até quinta-feira (1º) e em pelo menos mais sete empresas haverá atos na troca de turno. Na mesma data esta marcada uma assembleia geral, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em Diadema, às 18h para definir os rumos da luta.

As propostas de reajuste salarial e avanços sociais apresentadas pelos grupos em negociação (grupo 2, 3, 8, 10, Estamparia e Fundição) foram rejeitadas pelos trabalhadores, já que não contemplam as reivindicações da categoria.

“Quinta-feira é o prazo final para que os patrões melhorem as propostas já apresentadas”, afirmou o secretário-geral do sindicato, Wagner Santana, o Wagnão. “Os metalúrgicos do ABC paulista estão mobilizados e prontos para fazer a luta que for necessária para impedir qualquer tentativa de retrocesso e destravar a campanha salarial. Se não tiver proposta decente, é greve”, defendeu.

Na quinta-feira (24), os trabalhadores aprovaram forte disposição de luta na Comissão de Mobilização, realizada na sede do sindicato.

Confira a situação da campanha salarial por grupo

G2 (máquinas e eletrônicos): proposta de 7% parcelados em duas vezes foi rejeitada.

G3 (autopeças, forjaria e parafusos): 8% para quem ganha até R$ 3.000; 7%, mais valor fixo de R$ 30, para quem ganha de R$ 3.001 até R$ 7.600; e valor fixo de R$ 562 para quem ganha acima de R$ 7.600. Proposta foi integralmente rejeitada.

G8 (trefilação, laminação de metais ferrosos, refrigeração, equipamentos ferroviários e rodoviários, entre outros), G10 (lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação e material bélico, entre outros) e Fundição: sem proposta.