censura

Trabalhadores denunciam recolhimento da ‘Revista do Brasil’ que circulava no Butantan

Seguranças entraram no refeitório e retiraram os exemplares disponíveis para leitura sem quaisquer explicações, de acordo com funcionários. Assessoria de imprensa diz desconhecer a ação

Douglas Mansur/Sindicato dos químicos
quimicos e instituto butantan

Trabalhadores do Butantan permanecem representados pelo Sindicato dos Químicos após reconhecimento do TRT

São Paulo – Trabalhadores do Instituto Butantan, vinculado à Secretaria estadual da Saúde de São Paulo, denunciaram que dois pacotes contendo 50 exemplares da Revista do Brasil foram recolhidos hoje (31) do refeitório principal. De acordo com os servidores, seguranças entraram no local e apreenderam as revistas, alegando cumprir ordem da direção do órgão.

Conforme trabalhadores que presenciaram a ação, a retirada foi rápida e sem explicação. “Fica a indignação, pois víamos isso na época do regime militar”, afirmou um funcionário que preferiu não se identificar.

De acordo com eles, não é a primeira vez que isso ocorre. É corriqueiro o recolhimento de publicações, folhetos e materiais distribuídos pelo Sindicato dos Químicos de São Paulo.

A RBA, da qual a Revista do Brasil faz parte,vem publicando denúncias de trabalhadores sobre irregularidades na Fundação Butantan, entidade de direito privado que administra o instituto.

Entre elas, a recente tentativa de imposição, pela direção, de um novo sindicato aos trabalhadores da fundação. Os 1.200 trabalhadores entraram em greve contra a medida e a legalidade do movimento foi reconhecida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Com isso, os trabalhadores continuam sendo representados pelo Sindicato dos Químicos.

“As ações antissindicais da entidade são corriqueiras”, disse o diretor do Sindicado dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região Hélio Rodrigues.

Procurados pela redação, a assessoria de imprensa da entidade disse não ter conhecimento da ação.