Home Trabalho ‘Manifestação do 1º de Maio será ponto culminante da nossa luta’, afirma CUT
por direitos

‘Manifestação do 1º de Maio será ponto culminante da nossa luta’, afirma CUT

Ato no Dia do Trabalho dará ênfase à defesa da Petrobras e à batalha contra o PL 4.330
Publicado por Redação RBA
Trabalho
Compartilhar:   
Danilo Ramos / RBA
IMG_0685.jpg

Proposta é um dia de luta com as mesmas bandeiras pautadas nas ruas desde o início de março

São Paulo – “Esperamos que o 1º de Maio seja marcado pela continuidade da luta pelos direitos, pela democracia e pela defesa Petrobras”, disse Julio Turra, diretor executivo da CUT, nesta quarta-feira (22), em entrevista para a Rádio Brasil Atual. A central realiza reuniões para organizar os atos.

“Desde a manhã, estamos em Brasília para uma reunião da executiva nacional da CUT com os presidentes estaduais das centrais. Durante a tarde, iremos ao Congresso acompanhar a votação do PL 4.330, da terceirização, em vários estados e já começou a operação para cercar deputados nos aeroportos, visando a pressionar o voto do projeto de lei”, afirmou Turra.

Para o dirigente, o dia 1º será o ponto culminante das manifestações, que tiveram início em março. “Será um dia de luta, levantando as mesmas bandeiras que são pautadas pela CUT no último período, em conjunto com os movimentos populares parceiros”.

Diferente de outros anos, a comemoração do Dia do Trabalho enfatizará a luta e a manifestação. Segundo Turra, poderá haver atividades culturais, porém, com apoio de artistas engajados com as causas do movimento. “Estamos orientando as sedes estaduais a organizarem atos de rua e pela luta. O eixo é a mobilização de rua em massa levantando as reivindicações.”

“Essa manifestação será importante e vai nos turbinar para as próximas lutas, porque no atual quadro de crise política, nós não temos dúvida que o dia não será um ponto final de uma jornada”, afirmou.

Ouça a entrevista completa para a Rádio Brasil Atual: