Reajuste salarial já beneficia 85% dos metalúrgicos, afirma CUT

São Paulo – Pelo menos 85% dos metalúrgicos de São Paulo de sindicatos filiados a Central Única dos Trabalhadores (CUT) foram atendidos na reivindicação de reajuste salarial de 8%, que […]

São Paulo – Pelo menos 85% dos metalúrgicos de São Paulo de sindicatos filiados a Central Única dos Trabalhadores (CUT) foram atendidos na reivindicação de reajuste salarial de 8%, que correspondem à reposição da inflação de 5,39% mais aumento real de 2,5%. A Federação dos Sindicatos dos Metalúrgicos (FEM-CUT) espera que as negociações com as empresas que ainda não aceitaram a proposta terminem nos próximos dias.

De acordo com o órgão, os acordos já beneficiaram pelo menos 170 mil metalúrgicos de todos os grupos patronais. Ainda estão sem acordo cerca de 30 mil trabalhadores. Os dados foram fornecidos pelos 13 sindicatos metalúrgicos filiados. O único sindicato da base que encerrou a campanha salarial é o de Monte Alto, que contemplou 100% da categoria com o reajuste.

“A nossa campanha é vitoriosa. Conquistamos em mais de 80% da nossa base o aumento real de 2,5%. Isso foi alcançado com muita luta, mobilização e greve. Agora, temos de pensar nesses trabalhadores que trabalham em fábricas pequenas em que, muitas vezes, é difícil fazer mobilização”, afirmou o presidente da FEM, Valmir Marques, em nota.

As negociações continuam para os trabalhadores da estamparia; autopeças, forjaria e parafusos; trefilação, laminação de metais ferrosos; refrigeração e equipamentos ferroviários e rodoviários; e setores de lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação e material bélico.

Leia também

Últimas notícias