Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2012 / 03 / Faculdade Cásper Líbero demite professor com problemas de saúde

Faculdade Cásper Líbero demite professor com problemas de saúde

Em solidariedade, professor e jornalista Caio Túlio Costa deixa a instituição
por Redação da RBA publicado 16/03/2012 18h55, última modificação 16/03/2012 20h17
Em solidariedade, professor e jornalista Caio Túlio Costa deixa a instituição

São Paulo – A Faculdade Cásper Líbero demitiu depois de 16 anos de serviços prestados o jornalista e professor Edson Flosi. Nos últimos dois anos, Flosi estava licenciado para tratamento de uma doença, supostamente um câncer, segundo o Sindicato dos Jornalistas. Ele desempenhava funções de orientador e assessor da diretoria. Segundo uma carta divulgada pelas redes sociais, o jornalista Caio Túlio Costa, professor de Ética Jornalística do curso de graduação e de Mídia, Redes Sociais e Opinião Pública da pós-graduação da faculdade, teria se demitido, na quarta-feira desta semana (14), em solidariedade ao colega. Estudantes programaram manifestação em frente à Fundação Cásper Líbero, na Avenida Paulista, para o final da tarde desta sexta-feira.

A carta, assinada por Caio Túlio, informa que ele deixava a faculdade por discordar da demissão e por queixas à estrutura e à administração da instituição. “Incapacitado de dar aulas, mas apto a prestar os serviços que vinha executando de assessoria e orientação, tanto de forma remota quanto presencial, ele foi desligado mesmo estando doente como está. Não me sinto bem em ambiente que comete tal ação e cujos dirigentes concordem com ela caso tenha sido imposta por instância superior da Fundação Cásper Líbero, mantenedora da faculdade”, diz trecho da carta.

Numa resposta ao colega, também distribuída via internet, Flosi comenta que não foi informado pela instituição sobre os motivos da demissão: “Fui demitido e a empresa não justificou a demissão. É um direito da empresa. Doença não gera estabilidade. Demitir um professor doente é legal. Pode não ser moral, mas é legal. O trabalhador não pode esperar atitude humanitária da empresa. Afinal, vivemos em um regime capitalista. Quanto à atitude do professor Caio Túlio, fiquei emocionado com a sua solidariedade”.

Além da manifestação, o Centro Acadêmico Vladimir Herzog, da faculdade convocou uma assembleia dos estudantes para a segunda-feira (19).

O estudante de Jornalismo Felipe Amorim aponta que a demissão é só mais um dos problemas que a instituição enfrenta. “A demissão do Flosi escancara um problema muito mais profundo da Cásper, a gente já está convivendo com demissões de outros professores e, uma coisa que o professor Túlio Costa comenta na carta, a redução do salário dos professores orientadores de TCC, é algo que preocupa muito. Acho completamente desumana e falta de consideração com um professor que tem 16 anos de casa e está passando por uma situação difícil. Agente ainda não tem os motivos pelos quais ele foi demitido, mas o que fica pra nós é que foi por um motivo financeiro.”

O Sindicato dos Jornalistas divulgou nota repudiando a atitude da Cásper Líbero: “O Sindicato se coloca à disposição de Flosi, através de seu Departamento Jurídico. É importante ressaltar que o empregador pode rescindir o contrato de trabalho de seus empregados quando entender necessário. Porém, segundo a jurisprudência elaborada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), a dispensa com caráter discriminatório é considerada arbitrária, dando ao empregado o direito à reintegração”.

A Faculdade Cásper Líbero ainda não se manifestou.

registrado em: