Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2011 / 07 / Após pedido de diálogo, Dilma convida centrais para debater política industrial

Após pedido de diálogo, Dilma convida centrais para debater política industrial

Reunião ocorre nesta segunda, um dia antes de anúncio de plano do governo para o setor
por leticiacruz publicado 29/07/2011 17h49, última modificação 29/07/2011 19h56
Reunião ocorre nesta segunda, um dia antes de anúncio de plano do governo para o setor

São Paulo - A presidenta Dilma Rousseff reúne-se com representantes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT) e de São Paulo (ligado à Força Sindical) para receber as demandas dos trabalhadores para a política industrial. A reunião, na segunda-feira (1º), é reivindicação recorrente na pauta das centrais, que exigem espaço na construção das propostas da Política de Desenvolvimento da Competitividade (PDC), programada para ser divulgada nesta terça-feira (2).

Um documento conjunto de confederações de metalúrgicos da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) com propostas para o fortalecimento da produção nacional e geração de empregos de qualidade já havia sido encaminhado ao governo.

Para Sérgio Nobre, presidente dos Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a reunião é resultado das mobilizações da categoria alertando sobre os riscos das importações. "Com o objetivo de atrair a atenção da sociedade e do governo federal colocamos 30 mil trabalhadores na rodovia Anchieta, no início de julho, para alertar contra o risco que o crescimento das importações impõe à produção nacional e aos empregos de qualidade”, disse, referindo-se a uma manifestação conjunta entre os sindicatos cutistas e da Força Sindical..

O secretário-geral da Força, João Carlos Gonçalves, o Juruna, afirmou que, mesmo com o convite de Dilma para o encontro sobre o tema na segunda-feira, a entidade e as outras centrais – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), União Geral dos Trabalhadores (UGT) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) – não irão participar do anúncio do governo para a PDC, no dia seguinte.

registrado em: , , ,