Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2009 / 06 / Negociações nas universidades recomeçam na segunda

Negociações nas universidades recomeçam na segunda

Depois de decidir interromper as conversas no fim de maio, reitoria da USP aceita retomar debate
por Gilson Monteiro, Jornal Brasil Atual publicado , última modificação 17/06/2009 10h47
Depois de decidir interromper as conversas no fim de maio, reitoria da USP aceita retomar debate

Está marcado para a próxima segunda-feira (22) o reinício das negociações entre professores, funcionários e estudantes e os reitores das três universidades estauduais paulistas, USP, Unesp e Unicamp.

Um encontro realizado na terça-feira (16) serviu de base para definir como se dariam as conversas. Um dos pontos de discórdia diz respeito à presença da polícia militar na cidade universitária.

Segundo representantes que participaram da reunião, a reitora Suely Vilela reiterou que a Polícia Militar (PM) continuará no local até que não haja mais piquetes. Nesta sexta-feira (19) deve haver uma reunião técnica com os reitores.

O presidente da Associação dos Docentes da USP (Adusp), Otaviano Helene, explica que, entre os itens da pauta da reunião questões como a situação orçamentária das universidades e o motivo do aumento das despesas com folha de pagamentos em percentuais superiores ao de reajuste salarial. Políticas de permanência dos estudantes como subsídio a alimentação também devem ser debatidas.

Em comunicado, o conselho dos reitores afirma que está "comprometido com a manutenção do diálogo e com a convivência democrática". Também na terça-feira, um grupo de cerca de cem estudantes fechou o chamado “bandejão”, da Faculdade de Química da USP. O restaurante era o único em funcionamento dos quatro existentes na universidade, por contar com funcionários terceirizados.

registrado em: ,