Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2017 / 10 / Idec quer informações nutricionais acessíveis em rótulos de alimentos

direito do consumidor

Idec quer informações nutricionais acessíveis em rótulos de alimentos

Segundo o instituto, é preciso ser um especialista para entender as informações no atual modelo, o que afeta o direito de escolha do consumidor a uma alimentação mais saudável
por Redação RBA publicado 14/10/2017 09h19
Segundo o instituto, é preciso ser um especialista para entender as informações no atual modelo, o que afeta o direito de escolha do consumidor a uma alimentação mais saudável
Idec
Informações nutricionais

Consumidores são induzidos sobre supostos benefícios nutricionais de determinados alimentos e falta de clareza nos rótulos

São Paulo – O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) entregou nesta quarta-feira (11) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) uma petição com mais de 18 mil assinaturas em apoio à proposta de um novo modelo de rotulagem nutricionalno Brasil.

A proposta apresentada foi elaborado em parceria com pesquisadores da  Universidade Federal do Paraná (UFPR) e propõe a utilização de alertas na parte frontal da embalagem dos produtos industrializados ultraprocessados, além de melhorias na tabela nutricional e na lista de ingredientes. 

Segundo o advogado do Idec Igor Britto, ninguém entende as informações nutricionais apresentadas no atual modelo, o que praticamente inviabiliza a possibilidade do consumidor em comparar a qualidade dos ingredientes e optar por aquele mais saudável e seguro. 

"Só um nutricionista ou um engenheiro de alimentos tem uma formação específica capaz de entender. São medidas muito técnicas, inacessíveis para as demais pessoas compreenderem. O consumidor é muito facilmente enganado", diz Britto, em entrevista à Rádio Brasil Atual nesta quinta-feira (12).

Além das milhares de assinaturas do abaixo-assinado, o modelo proposto pelo Idec conta também com o apoio de cerca de 30 instituições ligadas a saúde e alimentação saudável, como o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), a ACT Promoção da Saúde, a Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, entre outras. 

Ouça a entrevista