Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2017 / 08 / Protesto contra 'PL da Poluição' distribui máscaras cirúrgicas em São Paulo

Ar que mata

Protesto contra 'PL da Poluição' distribui máscaras cirúrgicas em São Paulo

Ação busca chamar a atenção para projeto de lei que pretende adiar por 20 anos a obrigatoriedade do uso de combustíveis renováveis nos ônibus da capital. Proposta será debatida nesta quinta (17) na Câmara
por Redação RBA publicado 17/08/2017 14h24, última modificação 17/08/2017 14h49
Ação busca chamar a atenção para projeto de lei que pretende adiar por 20 anos a obrigatoriedade do uso de combustíveis renováveis nos ônibus da capital. Proposta será debatida nesta quinta (17) na Câmara
Divulgação
Poluição

Estátua de Francisco de Miranda, na Praça do Ciclista, amanheceu "mascarada" em protesto

São Paulo – A quinta-feira (17) chuvosa em São Paulo amanheceu com a distribuição de máscaras cirúrgicas diante dos hospitais Santa Marcelina e M'Boi Mirim, e dos terminais de ônibus Jardim Ângela, Guaianases, Cachoeirinha, Barra Funda e metrô República. Onze estátuas espalhadas pela cidade também amanheceram “mascaradas”, como a de Adoniran Barbosa (Bixiga), Luiz Lázaro (Praça da República), Francisco de Miranda (Praça do Ciclista) e o icônico Monumento às Bandeiras, próximo ao parque Ibirapuera.

A ação, promovida pelas organizações Greenpeace, Minha Sampa e Cidade dos Sonhos, teve o objetivo de protestar contra o Projeto de Lei 300/2017, já chamado de "PL da Poluição", de autoria do vereador e presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (DEM). O PL propõe adiar por 20 anos o prazo para que as empresas de ônibus da cidade adotem combustíveis limpos em sua frota.

A proposta pretende alterar a Lei 14.933/2009, que determina que toda frota municipal de ônibus deve ser 100% abastecida por combustíveis renováveis a partir de 2018. Segundo a lei, a transição já deveria ter se iniciado ao ritmo de 10% ao ano. Entretanto, essa obrigação foi ignorada pelas empresas de transporte e pela própria prefeitura.

A ecofrota da capital já teve 1.846 veículos em 2013, mas atualmente tem apenas 212 veículos movidos por algum tipo de energia limpa – menos de 1,5% do total de 14.511 ônibus que circulam na cidade.

Estudo do Instituto Saúde e Sustentabilidade afirma que a poluição no estado de São Paulo mata mais que o trânsito – são aproximadamente 11 mil mortes precoces por ano, uma média de 31 mortes por dia em 2015. No mesmo ano, os acidentes de trânsito vitimaram 7.867 pessoas.

As organizações que realizaram o protesto no início do dia prometem distribuir novamente máscaras cirúrgicas logo mais, a partir das 16h30, em frente à Câmara, quando haverá audiência pública para discutir o projeto.