Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2015 / 05 / Profissionais de saúde farão curso à distância sobre saúde LGBT

Diversidade

Profissionais de saúde farão curso à distância sobre saúde LGBT

Curso gratuito faz parte do Seminário de Avaliação da Formação na Política Nacional de Saúde Integral LGBT e Controle Social do SUS; inscrições vão até setembro
por Portal Brasil publicado 13/05/2015 11h20, última modificação 13/05/2015 11h20
Curso gratuito faz parte do Seminário de Avaliação da Formação na Política Nacional de Saúde Integral LGBT e Controle Social do SUS; inscrições vão até setembro
Tânia Rêgo/Agência Brasil
LGBT

Cursos incentivam a formação de lideranças e participação social

São Paulo – O  Ministério da Saúde (MS) e a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS) lançaram ontem (12) o curso “Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT)”. Feito à distância pela internet, o curso é gratuito e voltado para profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente os que atuam na Atenção Básica. As inscrições podem ser feitas no site na UNA-SUS até 10 de setembro de 2015.

O lançamento do curso  faz parte da programação do Seminário de Avaliação da Formação na Política Nacional de Saúde Integral LGBT e o Controle Social do SUS, que acontece de 11 a 13 de maio, em Brasília, para avaliar os cursos de formação para lideranças e ativistas LGBT já promovidos e construir projeto de formação para o biênio 2015-2016.

Segundo a secretária de Gestão Participativa do Ministério da Saúde, Katia Souto, os cursos são importantes para formar lideranças e incentivar a participação social. "Dentro de uma perspectiva de educação, é muito importante esse acompanhamento. A Pátria Educadora só poderá avançar com participação social, com o fortalecimento da formação de lideranças", afirmou Katia, em depoimento ao Portal Brasil.

O curso pode ser feito por qualquer pessoa interessada no tema, incluindo gestores, conselheiros de saúde e lideranças e ativistas LGBT. O objetivo é capacitar profissionais de saúde para atender, de forma qualificada, às necessidades de saúde da população LGBT, ampliando o conhecimento sobre a Política de Saúde Integral LGBT.

O programa foi desenvolvido de forma intersetorial e participativa, pelas secretarias de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP) e de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde (SGETS) do ministério e pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com colaboração do Comitê Técnico de Saúde LGBT. A universidade integra a Rede de Instituições Ensino Superior da UNA-SUS.

Secretária de Gestão Participativa do Ministério da Saúde fala sobre as políticas públicas e de saúde para a população LGBT: