Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2014 / 01 / Ao lado de Haddad, Padillha anuncia R$ 112 milhões para a saúde de São Paulo

SUS

Ao lado de Haddad, Padillha anuncia R$ 112 milhões para a saúde de São Paulo

Ministro participou de cerimônia de inauguração de unidade do Hora Certa na zona oeste da capital
por Redação RBA publicado 06/01/2014 18h18, última modificação 06/01/2014 19h35
Ministro participou de cerimônia de inauguração de unidade do Hora Certa na zona oeste da capital
Marcelo Camargo/Agência Brasil
padilha e haddad

Alexandre Padilha (à esq.) e Haddad anunciaram parcerias e investimentos na saúde paulistana

São Paulo – O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo do estado de São Paulo, anunciou hoje (6) que o governo federal vai liberar R$ 71,9 milhões para o atendimento de Urgência e Emergência em saúde da capital paulista. Também serão destinados R$ 9,7 milhões para pesquisas, estudos e capacitação em saúde mental e para implementação do programa Telessaúde Brasil Redes pela Secretaria Municipal de Saúde. O programa oferece orientação e cursos aos profissionais e trabalhadores das redes de atenção à saúde no Sistema Único de Saúde.

O ministro informou também que serão repassados R$ 21,1 milhões para a Fundação Faculdade de Medicina e para o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e R$ 10 milhões para manutenção e desenvolvimento de ações de saúde por instituições e organizações não governamentais (ONGs). Somados, os investimentos chegam a R$ 112,7 milhões.

Ao lado do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), Padilha anunciou também o apoio à municipalização do hospital Vasco da Gama, no Belém, zona leste da cidade.

"O Hospital Vasco da Gama é muito importante como estrutura de retaguarda no atendimento", afirmou Padilha. A Prefeitura está negociando a ação com o governo do Estado, proprietário do prédio, e estima que a reforma do prédio custará R$ 60 milhões.

Os anúncios foram realizados durante a inauguração de uma unidade da Rede Hora Certa no bairro da Lapa, na zona oeste de São Paulo. A unidade fica no segundo andar do prédio do antigo hospital Sorocabana, que teve o primeiro andar reativado como Atendimento Médico Ambulatorial (AMA), no ano passado. O Ministério da Saúde investiu R$ 1,5 milhão na aquisição de equipamentos e a Prefeitura, R$ 1,7 milhão.

A unidade terá capacidade para fazer 8,4 mil consultas por mês, 2,1 mil exames e 200 cirurgias. São duas salas de cirurgia e três salas de recuperação pós-anestesia. Entre as especialidades atendidas estão cardiologia, cirurgia vascular, neurologia e urologia. O local oferecerá à população seis tipos de cirurgia e exames como colonoscopia, eletrocardiograma, endoscopia, ecocardiograma, radiologia, ultrassonografia e monitoramento ambulatorial da pressão arterial.

Haddad destacou a municipalização e reabertura de hospitais, lembrando que o Santa Marina, no Jabaquara, zona sul da capital, estava fechado há quatro anos, facilita a instalação de equipamentos para atender à população.

"O Vasco da Gama está há quatro anos fechado. O Santa Marina estava há quatro anos fechado. Esse aqui estava fechado foi reaberto um andar com a Atendimento Médico Ambulatorial (AMA). Agora, estamos abrindo segundo andar com a Hora Certa e prospectando os próximos cinco".

Para Padilha, essas ações representam a retomada da atenção básica no município e a reestruturação do SUS na cidade.

“A Rede Hora Certa, além de ampliar o atendimento à população também ajuda na reestruturação da Atenção Básica da cidade, uma das prioridades do Ministério da Saúde. Este é mais um equipamento que amplia o serviço de atenção à saúde a toda população”, disse.

Com agências