Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 08 / Temporão anuncia R$ 2 bi para combater a gripe

Temporão anuncia R$ 2 bi para combater a gripe

Ministro contestou divulgação do cálculo de número absoluto de óbitos, sem considerar proporção em relação à população
por Paula Laboissière publicado , última modificação 27/08/2009 19h50
Ministro contestou divulgação do cálculo de número absoluto de óbitos, sem considerar proporção em relação à população

Temporão contestou cálculo do número de mortos sem levar em conta proporção em relação à população (Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil)

Brasília - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse hoje (27) que lamenta o número de mortes registradas no país por influenza A (H1N1) – gripe suína, mas admitiu que o ministério já previa que isso aconteceria.

“Estamos no Hemisfério Sul em pleno período de frio. A situação, com certeza, vai mudar bastante”, disse, Temporão em entrevista coletiva. Ele condenou a forma de cálculo de mortos pela doença, que leva em consideração o número absoluto e desconsidera a proporção com a população. Para ele, "não é um indicador razoável”. O cálculo correto considera o número de mortes por grupos de 100 mil habitantes.

“É muito precoce para fazermos análises quantitativas. Estamos no início de uma pandemia que atingiu o mundo inteiro e em um período muito curto.”

Temporão lembrou a autorização do governo para a liberação de um crédito extraordinário no valor de de R$ 2 bilhões para o enfrentamento da doença. Segundo ele, o país vai fazer uma licitação internacional para comprar vacinas em quantidade superior à capacidade de produção do Instituto Butantan.

O ministro acredita que os recursos serão liberados rapidamente. “Pedimos recursos olhando o problema da doença como um todo, desde a prevenção à capacitação, para estramos preparados para uma eventual chegada de uma segunda onda da doença”, disse.

Sobre o monitoramento de pacientes que estão usando o medicamento Tamiflu, ele afirmou que, por se tratar de uma doença nova, é preciso desenvolver estudos com base em aspectos clínicos e na eficácia do remédio. “Como o microorganismo não existia, um medicamento que foi desenvolvido para enfrentar outra doença [gripe aviária] está sendo usado”, afirmou.

Fonte: Agência Brasil

registrado em: , , , ,